15/08/2017

Leituras de Agosto de 2016: Capricho de Veludo, Loretta Chase, 336 páginas

Título: Capricho de Veludo
Autora:  Loretta Chase 
Edição ou reimpressão: 06-2016
Editor: Edições Chá das Cinco
Páginas: 336

SINOPSE:

O corpete perfeito deve saber convidar ao seu desapertar… O charmoso Simon Fairfax, Marquês de Lisburne, aceitou regressar relutantemente a Londres para cumprir obrigações familiares. Quando conhece a fogosa modista Leonie Noirot, decide arranjar tempo para um jogo de sedução, mas Leonie é quem decididamente não tem tempo para ele. Está obcecada em transformar a insípida prima do Marquês, Lady Gladys, num cisne. A cidade inteira conhece o talento de Leonie, mas o formoso Marquês está demasiado ocupado a tentar seduzi-la para conseguir apreciar o seu génio. A modista está determinada a ensinar-lhe uma lição, mas não será fácil concentrar-se na tarefa que tem em mãos e corre perigo de desviar-se do bom caminho… Conseguirá escapar às atenções insistentes do Marquês e operar uma transformação milagrosa?
https://www.wook.pt/livro/capricho-de-veludo-loretta-chase/17946811

Opinião:
Este é o livro que fecha a trilogia das irmãs Nerot, a história vai recair sobre a peculiar Leonie e o marquês Simon Fairfax.  Leonie é uma personagem extremamente focada, dedica-se de corpo e alma à loja das irmãs e não está minimamente interessada nos acontecimentos da sociedade londrina. Isto até que o marquês de Lisburne entra na sua vida perturbando de uma forma muito charmosa a sua vida.

Leonie é a mais nova das três irmãs Noirot e até agora não tinha estado no foco, sabemos do sei interesse por finanças, pela contabilidade da loja mas não conhecíamos o seu lado altruísta, quando tenta ajudar a prima do marquês, Gladys, a ser bem sucedida na cruel temporada da sociedade londrina.

Leonie faz dela o seu projecto pessoal (e até aposto com o marquês), fazendo com que a mesma seja invejada e bem sucedida durante a época alta. Este romance prima também pela descrição, muito apurada diga-se, da sociedade da época, mas acima de tudo do código vestimentar (e da maneira como a inovação do mesmo chocava a sociedade da época.

O casal Leonie-Simon conseguiu fazer deste terceiro volume, creio um dos mais bem sucedidos, da trilogia das irmãs. Estou a aguardar (ansiosamente) a história de Lady Clara que ficou por contar. Esta foi uma história de leitura divertida, com uma história envolvente e perfeita para um dia de verão.

Nota: 4 estrelas


Período de Leitura: 13 a 17 de Agosto

5. Leituras de Agosto de 2016: A mulher esquecida, Katherine Webb, 480 páginas

Título: A Mulher Esquecida

Autora: Katherine Webb 

Edição: Edições Chá das Cinco, Outubro de 2015
Páginas: 480

SINOPSE

As mentiras mais belas escondem as piores verdades.

Bath, Inglaterra, 1821. Jonathan Alleyn vive atormentado pelas memórias da guerra e pela dor de ter perdido Alice, o seu amor de infância. Nos últimos anos, a mansão em que vive apenas oferece abrigo aos seus fantasmas. Até Starling, a governanta, e irmã adotada de Alice, duvida que a jovem tenha simplesmente fugido e teme algo bem mais sinistro. Mas eis que chega Rachel, casada com um charmoso homem de negócios e que é convidada a fazer companhia a Jonathan. A sua presença tem um efeito perturbador na falsa harmonia da mansão Alleyn, pois Rachel é muito parecida com a desaparecida Alice. As ameaçadoras sombras do passado emergem para trazer à tona verdades desoladoras e cruéis. Quem terá coragem de desvendar um passado cheio de enigmas obscuros? Quem é Rachel? E o que aconteceu a Alice?

https://www.wook.pt/livro/a-mulher-esquecida-katherine-webb/16785865

Opinião:

Um thriller/romance histórico, foi um livro surpreendente por isto. Não estava à espera de encontrar um mistério que se adensa pelas página adentro e que nos agarra à leitura.

Acompanhamos Jonathan martirizado pelo desaparecimento de Alice, o seu grande amor. Isolado em casa, vive agarrado à bebida e apanhado pelas memórias fugidias de Alice, até que surge Rachel, recentemente casada (e desapontada) e a pouco e pouco o consegue libertar do torpor em que se encontra.

A história recua por vezes ao passado para nos dar a conhecer a vida de Alice e de Jonathan antes do desaparecimento da mesma. Acompanhamos o crescimento de ambos e ficamos a perceber melhor as razões para o desaparecimento de Alice.

Vai ser Rachel a potenciar toda a acção, a histórica foca-se muito nela e no desenvolvimento de uma relação proibida com Jonathan. Num cenário que nos fala de guerra, que demonstra as diferenças sociais elevadas vemo-nos enredados pela história comovente e surpreendente!

Nota: 4 estrelas


Período de Leitura: 10 a 13 de Agosto

03/08/2017

4. Leituras de Agosto de 2016: Tu, eu e todo o tempo do Mundo, Taylor Jenkins, Reid, 304 páginas

Título: Tu, eu e Todo o Tempo do Mundo
Autora: Taylor Jenkins Reid 
Data 1ª Edição: 04/02/2016
Nº de Páginas: 304
Dimensões: 150x230mm

Sinopse: Quando Elsie Porter saiu de casa naquele chuvoso dia de Ano Novo estava longe de pensar que minutos depois conheceria o seu grande amor, Ben Ross.

A atração é imediata e arrebatadora, e casam-se pouco tempo depois. No entanto, um acidente mortal destrói a felicidade de Elsie.

Para a ajudar a lidar com a dor, conta com a mãe de Ben, numa manifestação de amizade que se revelará de enorme importância para as duas.

Tu, Eu e Todo o Tempo do Mundo é uma história contada de maneira simples e profunda.

Opinião:

Pela primeira vez vou começar uma opinião pelo fim! Senti-me defraudada! Enganada por aquele título lindo, afinal ele não tiveram todo o tempo do mundo! Conheceram-se, apaixonaram-se e vá-se lá saber porquê ele morre! Não! Não! Começamos logo a pensar então e agora? Commo é que há tantas páginas num livro? E que rumo terá esta história? Vamos ter páginas de lamúrias, choros e dor? Não quero ler este livro!

Mas a autora cativou-nos... Já nos tínhamos não apaixonado pelo romance a dois, mas por Elsie, aquela bibliotecáaria discreta, sensível e que cativava jovens e idosos. Alternando entre o passado e o presente vamos conhecendo esta personagem algo singular, acompanhamos o seu percurso, os seus pensamentos e o seu caminho durante o período de luto pela morte de Ben.

Nova reviravolta acontece quando uma sogra que não sabia de Elsie e que desconhecia o relacionamento de ambos chega à sua vida. Cada mulher, à sua maneira, terá de partilhar, abdicar e acima de tudo sobreviver à perda do “homem” das suas vidas.

Um romance enternecedor, cativante, envolvente e acima de tudo uma escrita tão simples, que quando nos apercebemos já terminamos a leitura. Aconselho a leitura e certamente a Presença irá apostar em mais romances da autora!

Período de Leitura: 05 a 10 de Agosto


Nota: 4 estrelas

01/08/2017

3. Leituras de Agosto de 2016: Confesso, Collen Hoover, 256 páginas

Título: Confesso
Autora: Colleen Hoover 
Edição ou reimpressão: 04-2016
Editor: TopSeller
Páginas: 256


SINOPSE:
Auburn Reed tem toda a sua vida planeada. Não há espaço para erros ou imprevistos. Até que, um dia, entra num estúdio de arte e conhece Owen Gentry, o enigmático artista dono do estúdio.
Auburn sente, de súbito, que algo muda dentro dela e decide deixar-se levar pelo coração.
Owen, contudo, guarda segredos que não quer ver revelados. As escolhas do seu passado não parecem permitir-lhe um futuro livre, e Auburn tem demasiado a perder se decidir lutar por ele. A única forma de não pôr em risco tudo o que é importante para si é deixar Owen. Confessar é tudo o que ele tem de fazer para salvar a relação de ambos. Mas, neste caso, a confissão pode ser muito mais destrutiva do que o próprio pecado.
Será o amor capaz de sobreviver à verdade?
Confesso é uma história de imenso amor e coragem, que nos faz acreditar em segundas oportunidades.
Inclui 8 páginas a cores com as ilustrações dos quadros de Owen.


Opinião:
Já li alguns livros da autora, gostei muito das histórias mas acima de tudo da escrita tão simples que nos enreda ao ponto de nos vermos como participantes da história.

Conhecemos neste novo livro Owen um misterioso pintor (atormentado certamente pelos fantasmas do seu passado) e Auburn a cabeleireira que se muda para a cidade. Quis o destino que se cruzassem e que o seu caminho fosse feito em conjunto. Owen usa a sua arte para se libertar, para expressar os seus mais escuros pensamentos e sentimentos a juntar a isto tem uma caixa de correio onde as pessoas lhe deixam as mais estranhas confissões e passamos o livro a tentar adivinhar a quem pertencem.

Confesso que fiquei cativada por Auburn, pela maturidade que adquire ao longo do livro, por não desistir de lutar pelo que quer e acima de tudo por não se deixar levar pelo preconceito e “má-línguas” de cidadezinhas pequenas!

Já Owen parece-me uma personagem algo apagada, será porque nos transmite todos os sentimentos através dos seus quadros que depois aparece como um protagonista algo discreto?

O que mais me cativou, confesso, foram as imagens no livro, não sei quem foi responsável por elaborá-las, mas fiquei impressionada como se coadunam com a história, foi sem dúvida um pormenor interessante e que funcionaram como uma mais-valia para o livro.

A aposta da Topseller nesta autora foi certeira que é certamente uma das autoras mais queridas do público português. A história é cativante, envolvente e permite-nos durante uma horas a abstracção do mundo real.


Período de Leitura: 4 a 5 de Agosto

Nota: 4 estrelas