29/02/2016

3. Leituras de Setembro: Desejos de Chocolate, Care Santos


Desejo de Chocolate

Autora: Care Santos
Edição/reimpressão:2015
Páginas: 384
Editor: Editorial Planeta
 
Sinopse
Desejo de Chocolate é um livro que irá agarrar o leitor desde o princípio, pois a história é viciante e as três protagonistas, embora em séculos diferentes têm todas em comum, o facto de serem independentes e aguerridas. Uma história que atravessa três séculos e o que une estas três histórias é uma requintada chocolateira branca que pertenceu à filha de Luís XIV, Madame Adelaide.
 
http://www.wook.pt/ficha/desejo-de-chocolate/a/id/16350630
 
Opinião:
Comprei este livro pela capa. Vi-a e disse para mim que a história deveria ser interessante. Adorei a narrativa tripartida da vida das três mulheres mas fique decepcionada pos esperava mais da história da dona presente, mas cada coisa a seu tempo.
 
O elemento centra da história é uma chocolateira branca, a história de como foi feita, de como passou de mão em mão até chegar à sua dona actual que a estima como um tesouro. A acção desenrola-se ora numa Barcelona actual, ora nos séculos XiX e XVIII e em comum três mulheres invulgares a quem esta chocolateira pertenceu.
 
A história começa ao contrário por assim dizer, inicia-se com a chocolateira a partir-se e termina com a descrição de ocmo esta foi elaborada. E foi aqui que fiquei decepcionada pois pensava que a história ainda retomava a história do início, contando-nos os acontecimentos após a chocolateira ser partida, mas não a história fica-se por aí. E eu queria tanto saber o que vinha a seguir! É quase como nos dizerem: vais ter uma grande surpresa, a surpresa é... e a pessoa não nos conta mais nada e ri-se!
 
Gostei muito deste livro, é diferente pela narrativa, pelas personagens e adoro o tema claro: o chocolate!
 
Período de Leitura:  20 a 24 Setembro
 
Nota: 4 estrelas

26/02/2016

2. Leituras de Setembro: Os sonhos que tecemos, Kate Alcott


Título: Os Sonhos que Tecemos


Autora: Kate Alcott

Edição/reimpressão:2014

Páginas: 312

Editor: Edições Asa

 

Sinopse

Alice Barrow desafia todas as convenções ao abandonar o mundo rural e tacanho onde nasceu. Numa época em que as mulheres são cidadãs de segunda categoria, o seu emprego na fiação da família Fiske é um passo importante rumo à emancipação. As "meninas da fiação" trabalham longas horas em condições precárias mas a alegria que as une é completamente nova para ela. Um dia, até dá por si a cometer a "extravagância" de celebrar o seu primeiro salário com a compra de um chapéu. É apenas um objeto mas vai ganhar a força de um talismã.

Inadvertidamente, Alice capta a atenção de Samuel Fiske, filho do dono da fábrica. Samuel é um enigma. Frio e impenetrável, tem o condão de contrariar frequentemente a própria família. O seu fascínio por Alice é a derradeira afronta aos pais e à ordem social. Será amor ou mero capricho?

O teste aos seus sentimentos será abrupto. Quando uma jovem muito especial aparece morta, toda a hierarquia de poder é posta em causa. O que se segue é um eco da luta ancestral entre ricos e pobres, poderosos e oprimidos. Apenas os mais determinados conseguirão vingar. Apenas um amor verdadeiro poderá sobreviver.

 

 

http://www.wook.pt/ficha/os-sonhos-que-tecemos/a/id/15976104

 

Opinião:

 

Fiquei interessada neste livro primeiro por causa da capa e depois pelo resumo. Tratra-se de uma boa história sobre a determinação das mulheres e as injustiças sociais vividas por muitos.

 

A história foca-se em Alice Barrow, que fugindo a uma vida dura no campo se torna uma operária fabril, trabalhando numa das fiações mais importantes de Inglaterra. Alice vive num dormitório para operárias e nos serões vai ficar a conhecer um pouco de cada uma das suas colegas. Alice parece gostar do trabalho que tem apesar deste ser duro. No entanto a pouco e pouco apercebe-se de algumas injustiças que acontecem na fábrica e tenta fazer com que a sua voz seja ouvida pelos patrões.

 

A história de amor? Um amor proibido pelas convençoes sociais, ela uma pobre trabalhadora mas corajosa e ele o filho do patrão que tenta ajudá-la a descobrir quem matou a sua melhor amiga da fiação.

 

A escrita desta autora fez-me lembrar de certa forma a de Lesley Pearse e mesmo o formato da história em grandes linhas, uma heroína enfrenta as agruras do destino, um romance proibido, muitos obstáculos. Gostei muito da componente histórica, vê-se que houve muito trabalho de fundo para a autora conseguir retratar de forma tão minuciosa certos promenores: o tratamento dado Às mulheres, ainda diferenciado dos homens; a questão dos direitos: no trabalho, nas instituições (tribunal, bancos) e no lar.

 

Fiquei muito surpreendida com este livro, pela positiva, fui atrás da capa e acabei por ler uma bela história que me prendeu do início ao fim.

 

Período de Leitura:  17 a 20 Setembro

 

Nota: 4 estrelas

1. Leituras de Setembro: As vinhas do Amor, Roisin McAuley


Título: As Vinhas do Amor


Autora: Roisin McAuley

O sabor de um beijo…o aroma de um vinho naquele verão

Edição/reimpressão:2012

Páginas: 320

Editor: Quinta Essência

 

 

Sinopse:

Moonbeam Star, conhecida pelos amigos como Melanie, é filha de um casal hippy. O pai esqueceu-se de regressar de Woodstock e a mãe partiu para se encontrar, portanto, Melanie foi criada pelos avós.

Agora na casa dos vinte, Melanie estuda e trabalha num estabelecimento vinícola na Califórnia. Quando o avô tem um ataque cardíaco, revela um segredo que guardou desde que o seu avião foi abatido sobre a França durante a Segunda Guerra: teve um filho com a rapariga que salvou. A criança era um rapaz, e Melanie fica intrigado com a existência desse tio francês e parte à sua procura.

Em Inglaterra, a jovem irlandesa Honor Brady apaixona-se por Hugo, um comerciante de vinhos, que a leva para o seu castelo em Astignac, na zona vinícola de Entre Deux Mers.
Hugo vende vinhos raros a connoisseurs; vinhos com história; vinhos escondidos durante a guerra; vinhos salvos do Palácio de Inverno em Sampetersburgo… e Honor é deixada sozinha, o que a leva a conhecer Didier, cuja família outrora foi dona do château de Hugo e está ligada ao tio de Melanie. À medida que as vida das duas mulheres se sobrepõem, é descoberta uma teia de mentiras que se estendeu durante décadas.

 


 

Opinião:

 

Gostei muito deste livro, andava há uns tempos para o ler e foi uma boa leitura, acima de tudo intrigante e levou-e a um novo mundo: o dos vinhos. Não sou grande apreciadora de vinhos mas ler algo que nos revela tanta paixão foi interessante.

 

A história alterna entre Melanie e Honor. Melanie que procura saber mais sobre o seu tio perdido em França e Honor que partiu para França em busca de uma vida a dois com o seu amor, pensava ela.

 

O ritmo do livro é lento e cadenciado e depois todos os acontecimentos culminam num final rápido e algo inesperado. Gostei porque há um grande foco nos relacionamentos por exemplo entre famílias  algo disfuncionais, o relacionamento tenso entre Melanie e o seu padrasto e o desejo de lhe provar que ela é boa na sua profissão.

 

Acho que a autora tem intenção de continuar estas histórias, abordar melhor o novo romance, falar da história do seu avô e a sua história de amor com a rapariga francesa.

 

É um livro simples, encantador pela descrição intensa dos aromas, das cores, da riqueza da terra, da beleza de um bom vinho e de uma história de amor.

 

Citação:  “No vinho, como no amor, há que distinguir o verdadeiro do falso…”

 

Período de Leitura:  14 a 16 Setembro

 

Nota: 4 estrelas

 

24/02/2016

1. Leituras de Agosto: Os bebés também querem dormir, Constança Cordeiro


Título: Os Bebés Também Querem Dormir


Autora: Constança Cordeiro Ferreira

Edição/reimpressão:2015

Páginas: 276

Editor: Matéria Prima

 


Sinopse:

Aprenda a perceber os sinais. As respostas estão todas no seu bebé. Descubra a linguagem secreta das mães e dos bebés. Compreenda-os desde o nascimento. Viva dias felizes e noites tranquilas.

http://www.wook.pt/ficha/os-bebes-tambem-querem-dormir/a/id/16283677

 

Opinião:

 

Este livro foi-me oferecido poucos dias depois do meu baby nascer. Foi-me oferecido por uma amiga nossa que dizia ser a “Biblía” para bebés. Confesso que me identifiquei com algumas das coisas mencionadas do livro. Achei muito interessante a parte afectiva, o criar laços, o de criar uma atmosfera calma e relaxante em torno do bebé.

 

Posso dizer que fui abençoada, o meu bebé não foi daqueles bebés chorões, só chora com fome ou dor. É calmo e bem disposto. Dá-nos muitas alegrias e todos os dias temos descobertas novas.

 

Quanto ao livro posso dizer que ajudou, Que tirou dúvidas relativamente à questão do sono e à importância de se criar uma rotina nossa.

 

Aconselho a novos pais, a segundos pais... à família. Uma ajuda e uma pequena luz sobre o tema da maternidade.

1. Leituras de Julho: A escolha do Coração, Amanda Brooke


 
Título: A Escolha do Coração
Autora: Amanda Brooke
Edição/reimpressão:2012
Páginas: 296
Editor: Quinta Essência
 
Sinopse:
Os recém-casados Holly e Tom acabaram de se mudar para uma casa antiga na pitoresca Inglaterra rural. Quando Holly descobre um relógio lunar num jardim cheio de ervas, e o seu estranho mecanismo de cristal, está longe de suspeitar que ele vai mudar a sua vida para sempre. Pois o relógio lunar tem uma maldição. A cada lua cheia, Holly consegue ver o futuro - um futuro que contém Tom a embalar a filha bebé de ambos, Libby, e a chorar a morte de Holly no parto… Holly percebe que o relógio lunar está a oferecer-lhe uma escolha desesperada: dar a Tom o bebé que ele sempre quis e sacrificar a sua própria vida; ou salvar-se e apagar a vida da filha por quem se apaixonou.
 
http://www.wook.pt/ficha/a-escolha-do-coracao/a/id/13044552
 
Opinião:
 
Uma história de fantasia fantástica! Gostei de ler este livro, se bem que foi numa altura algo complicada, tinha tido o meu baby há pouco tempo e temos tendência por vezes a sermos influenciados pelo que lemos mas acabou por ser uma surpresa muito agradável.
 
A história fala-nos de Tom e de Holly que compram uma casa pitoresca, a precisar de umas quantas obras. No entanto no jardim descobrem um estranho objecto que mais tarde sabem ser um relógio lunar. Esse relógio tem como estranho poder mostrar a Holly o seu futuro e este não parece muito risonho. Holly numa luta contra o tempo vai com ajuda de uma vizinha tentar descobrir mais sobre o relógio e arranjar maneira de alterar o seu destino.
 
Não vou falar mais sobre a história pois iria contar mais do que aquilo que pretendo sobre o livro. Acho que é um livro muito interessante, uma história de amor a roçar o fantástico, um pouco como os romance da Sarah Addison Allen.
 
Citação favorita: ‘Podemos estar numa sala cheia de gente e ainda assim sentirmo-nos sozinhos.’
Período de Leitura: 20 a 30 de Julho
 
Nota: 3 estrelas

3. Leituras de Junho: Lições de Sedução, Emma Wildes


Título: Lições de Sedução


Autora: Emma Wildes

Edição/reimpressão:2010

Páginas: 344

Editor: Editorial Planeta

 

Sinopse

Uma verdadeira senhora não deveria aceitar lições de uma cortesã - ou deveria? A recente esposa do duque de Rolthven, Brianna Northfield, é distinta, recatada e educada - tudo o que uma jovem noiva deve ser. E que diria a sociedade se a visse com um exemplar de Os Conselhos de Lady Rothburg - um livro de lições de uma cortesã sobre comportamentos de boudoir? O muito respeitável duque, seu marido, não aprovaria, mas encontra-se demasiado ocupado com as suas obrigações ducais para prestar muita atenção à sua jovem esposa. Embora, se Brianna conseguir o que quer, isso esteja prestes a mudar… Quando a sua jovem, bonita e inocente esposa se torna, de súbito, entendida na arte do amor, Colton Northfield é apanhado de surpresa. Se antes a deixava por conta própria agora quer a sua companhia na ópera, na carruagem, e até durante o chá na sua propriedade da província, mas não pode deixar de ficar alarmado com os poderes sedutores. Onde terá ela aprendido tais expedientes? No entanto, a campanha escandalosa de Brianna está a desenvolver-se de formas que ela nunca poderia ter imaginado… Seguir os conselhos de uma cortesã pode ter graves consequências, mas valerá a pena se conseguir o seu desejo mais secreto: conquistar o amor do marido.

 

http://www.wook.pt/ficha/licoes-de-seducao/a/id/8984113

 

Opinião:

 

Um romance muito engraçado, com uma não típica inocente esposa que tenta conquistar o seu recente marido fazendo uso de um livro proibido publicado por uma cortesã.

 

Brianna sentia-se muito atraída pelo seu novo marido mas este não lhe prestava muita atenção. À semelhança de muitos casamentos arranjados o casal mal se via, mas Brianna não queria isso, ela queria fazer o marido apaixonar-se por ela, nem que para isso tenha que recorrer Às artimanhas e à arte de sedução usadas pelas cortesãs. E como Colton, o seu marido, vai “sofrer” não percebendo como aquela “inocente flor” se torna numa sedutora caprichosa e atrevida. Colton, um duque muito conhecido e influente não consegue perceber como aquela criatura dita submissa consegue invadir os seus pensamentos e deixá-lo mito intrigado.

 

Ao mesmo tempo que esta história se desenrola a autora introduz uma narrativa secundária relatando a história de Rebecca e Robert por quem ela é apaixonada e ele não lhe passa cartão nenhum. Isto até ter de ajudá-la a livrar-se de um pretendente e de começar a olhá-la de maneira diferente.

 

Um livro divertido e de fácil leitura. Perfeito para uma tarde e um chá!

 

Período de leitura: 26 a 30 Junho

 

Nota: 3 estrelas

19/02/2016

2. Leituras de Junho: Uma aposta perversa, Emma Wildes


Título: Uma Aposta Perversa

Autora: Emma Wildes
Edição/reimpressão:2009
Páginas: 352
Editor: Editorial Planeta


Sinopse:

Não se fala noutra coisa na cidade. Num momento menos sóbrio, os dois mais famosos libertinos de Londres - o conde de Manderville e o duque de Rothay - fazem uma aposta muito publicitada para decidirem qual deles é o melhor amante. Mas que mulher que reúna beleza, inteligência e discernimento concordará em ir para a cama com ambos os homens e declarar qual deles é mais competente a satisfazer os seus desejos mais profundos? Lady Caroline Wynn é a última mulher que alguém esperaria que se oferecesse. Uma viúva respeitável com uma reputação de gelo, lady Caroline mantém-se firmemente fora do mercado de casamento. Pode não desejar outro marido, mas o seu breve casamento deixou-a com algumas perguntas escandalosas sobre o acto de fazer amor.

Se o conde e o duque concordarem em manter secreta a identidade dela, lady Wynn decidirá qual dos dois detém a maior mestria entre os lençóis. Mas, para surpresa de todos, o que começa como uma proposta indelicada transforma-se numa espantosa lição de amor eterno....

http://www.wook.pt/ficha/uma-aposta-perversa/a/id/2552174



Opinião:

Este foi o primeiro livro que li desta autora, gostei mas não posso dizer que será a minha escritora favorita dentro deste género. Gosto mais por exemplo de Julia Quinn.  No entanto a história até que é um pouco usual e é esse detalhe que tornou a leitura deste livro muito fácil.

Logo de início vamos deparar-nos com uma espécie de trio amoroso, quer dizer não sei se o podemos colocar desta forma, até porque é a Lady Caroline Wynn que de certa forma detém o poder na aposta dos dois amigos.

A aposta consiste enttão em avaliar qual dos dois cavalheiros seria o melhor amante. Se Nicholas Manning, duque de Rothay ou  Derek Drake, conde de Manderville. Lady Caroline aceita a aposta para confirmar se os homens são tão desprezíveis quanto ela pensa. A sua experiência é muito pouca e má, o pai ignorava-a e o falecido marido era um ser execrável que nunca a tratou decentemente.

É claro que a história vai sofrer uma reviravolta. E logo Nicolas e Caroline vão sem se aperceber apaixonar-se e é depois em torno disto que o livro vai discorrer. A questão depois será: Vai Caroline cumprir com a segunda parte da aposta e partir com Derek? A resposta é não! Até porque Derek está perdido de amores por outra pessoa.

Achei este livro uma boa maneira de passar umas horas de lazer, as duas histórias de amor são encantadoras e divertidas.


Período de Leitura: 16 a 21 Junho


Nota: 3 estrelas

18/02/2016

[TAG] Hábitos de Leitura






O blogue foi tagado pelo Sinfonia dos livros e ainda que já tenha passado algum tempo cá ficam as respostas!
 
1. Tens um lugar específico na casa para ler?
Gosto muito de ler no sofá embrulhada numa manta.
 
2. Marcador ou Pedaço de Papel?
O marcador, o preferido? Um com íman que estou sempre a abrir e fechar que faz publicidade à bic.
 
3. Consegues parar simplesmente de ler ou tem de ser sempre no final de um capítulo ou a um certo número de páginas?
Gosto de acabar a página e não deixar se aquela parte for interessante a meio.

4. Comes ou bebes enquanto lês?
Sim, até porque leio muitas vezes nas pausas no trabalho. E nada como umas bolachas ou café para acompanhar um bom livro.


5. Música ou TV enquanto lês?
Em casa televisão.
 
6. Um livro de cada vez ou vários ao mesmo tempo?
Normalmente um no tablet e um livro em casa.
 
7. Ler em casa ou em qualquer lugar?
Leio em qualquer lugar, mas gosto muito de ler em casa.


8. Ler em voz alta ou silenciosamente?
Em silêncio.
 
9. Lês para a frente e/ou pulas páginas?
Por vezes a curiosidade é tanta que tenho mesmo de ir espreitar à frente.
 
10. Quebrar a lombada ou mantê-la como nova?
Eu tento sempre mantê-las intactas mas por vezes não dá.


11. Escreves ou fazes anotações nos livros?
Coloco post-its.


12. Quem tagueias?
Ainda não sei... Mas dos que gosto de ler...
 
As leituras da Fernanda
Leituras do Instante
O tempo entre os meus livros
Efeito dos livros
Livros e marcadores
Ler é Viver



1. Leituras de Junho: O melhor lugar do mundo é aqui mesmo, Care Santos e Francesca Miralles


 



Título: O Melhor Lugar do Mundo é Aqui Mesmo

Autores: Care Santos, Francesc Miralles

Edição/reimpressão:2014

Editor: Editorial Presença

 

Sinopse

Iris é uma mulher na casa dos 30, que vive só e trabalha como telefonista numa companhia de seguros. Desde a morte recente dos pais num acidente de viação, nada tem que a prenda a este mundo e perdeu por completo a capacidade de sonhar. É então que, num domingo cinzento, Iris entra por curiosidade num café que tem um nome invulgar e em que ela nunca reparara: O Melhor Lugar do Mundo É Aqui Mesmo. Aí, durante seis tardes consecutivas, Iris conversa com um desconhecido misterioso chamado Luca, que a guiará ao longo de uma incrível e mágica experiência introspetiva que a leva a redescobrir-se.

 

O Melhor Lugar do Mundo é Aqui Mesmo é um livro reconfortante e inspirador que nos convida a meditar e a sintonizar-nos com a nossa essência mais profunda, pois só assim podemos valorizar o presente e ultrapassar as sequelas do passado.

 

http://www.wook.pt/ficha/o-melhor-lugar-do-mundo-e-aqui-mesmo/a/id/1739066

 

 

Opinião:

Numa palavra: lindo! Gostei muito deste livro. Em seis dias vamos numa viagem de descoberta sobre a vida de Iris. Somos confrontados no início do livro com um acontecimento inesperado, a personagem principal pensamos nós, está à beira de cometer um suicídio! E pensamos: qual a lógica disto?  Esta é a casa de partida de seguida Iris vai conhecer um espaço muito inusitado, um café onde passa a ir durante seis dias, com o nome de: “O melhor lugar do mundo é aqui mesmo”.

 

Neste café vai conhecer algumas personagens algo invulgares, mas é por Luca que se vai apaixonar em poucos dias, é ele que a vai ajudar a sair da depressão, da tristeza em que ela vivia desde a morte dos pais. No correr dos dias Iris vai sentar-se sempre num sítio diferente acompanhada de Luca e vai percorrer a sua memória, as suas vivências acabando por ficar a conhecer-se um pouco melhor e a melhorar a sua auto-confiança.

 

Um livro simples de leitura rápida, mas com uma grande lição de vida e que promove a reflexão. Quantas vezes não poderíamos nós fazer a diferença na vida de alguém com um simples gesto? Uma escrita envolvente e cativante e de tão simples que quando damos conta o livro acabou.



Citações favoritas:

“A vida compreende-se olhando para o passado, mas só pode ser vivida olhando para o futuro.”

 

“Não chores porque as coisas chegaram ao fim; sorri porque elas existiram.”


Período de Leitura: 20 a 21 de Junho

 

Classificação: 4 estrelas

16/02/2016

5. Leituras de Maio: Nunca Digas Adeus, Lesley Pearse


Título: Nunca Digas Adeus
Autora:  Lesley Pearse  
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 432
Editor: Edições Asa

 

Sinopse:

Separadas pela vida, unidas pelo destino.

 
Num chuvoso dia de outono, Susan Wright entrou numa clínica, matou duas pessoas a sangue-frio e aguardou que a polícia chegasse. Terá sido um ato de loucura? Uma vingança planeada? Susan não parece interessada em defender-se e recusa falar. O seu silêncio estende-se a Beth Powell, a advogada a quem é atribuído o caso. Beth é uma mulher de sucesso com uma carreira brilhante mas nada a preparara para o momento em que identifica a autora daquele crime tão bárbaro. Quando eram crianças, Beth e Susan juraram ser amigas para sempre. Vinte e nove anos depois, mal se reconhecem. Mas as memórias dos verões felizes das suas infâncias são suficientemente poderosas para as unir de novo. Enquanto as provas contra Susan se acumulam, elas partilham recordações e revelam os segredos que ditaram o rumo das suas vidas.
A amizade entre as duas mulheres torna-se cada vez mais forte mas sobre uma delas pende a implacável mão do destino…

http://www.wook.pt/ficha/nunca-digas-adeus/a/id/13044513

 

Opinião:

Um livro muito diferente dos anteriores publicados pela autora. Decorre na nossa época e algo virada para o policial. A história de duas amigas de infância atormentadas pela história das suas famílias. Marcadas pelo passado, a tentar sobreviver no presente e tentando libertar-se dos fantasmas e finalmente viver no verdadeiro sentido da palavra.

Vou ser muito honesta quando comprei o livro fiquei com a sensação de que não iria gostar muito da história, e não me enganei muito. A narrativa era muito cadenciada pelos acontecimentos do passado, muito marcada pelo diálogo e pelos retrocessos. Ficamos a conhecer melhor o passado de Beth e Susan, mas depois em termos futuros fica tudo muito em aberto.

Ambas pensavam que a outra tinha a vida familiar ideal mas nada estava mais longe da realidade. E aqui começa algo que eu acho ter sido comum ao longo de todo o livro, se eram tão amigas porque não conheciam a verdade uma sobre a outra? E porque se afastaram tanto? Susan está num caminho de amargura e Beth num caminho que parece ir de encontro à felicidade. Ainda que as suas vidas pareçam tomar rumos diferentes é neste ponto que ambas se encontram e que conhecemos as suas histórias.  

Esta história é interessante pelo grau de curiosidade que desperta em nós, pela nossa necessidade de respostas à pergunta inicial: porquê? Mas estas duas personagens Beth (por ser tão fria e racional) e Susan (por ter sido uma pessoa com tão puca garra ao longo da vida) me fizeram sentir a empatia que outras heroínas de Lesley Pearse anteriormente me fizeram sentir.

De todos os livros de Lesley Pearse este foi o que menos gostei. Confesso que não gostei muito da narrativa contemporânea, da história e das persnagens do livro. Vamos ver se os próximos três que me faltam se são melhores.

Citação favorita: «Não é demasiado tarde para desceres desse muro onde tens estado empoleirada há tanto tempo. Desce agora, junta-te à vida, faz parte dela.» 

Nota: 3 estrelas

Período de Leitura: 28 a 31 de Maio