26/02/2016

2. Leituras de Setembro: Os sonhos que tecemos, Kate Alcott


Título: Os Sonhos que Tecemos


Autora: Kate Alcott

Edição/reimpressão:2014

Páginas: 312

Editor: Edições Asa

 

Sinopse

Alice Barrow desafia todas as convenções ao abandonar o mundo rural e tacanho onde nasceu. Numa época em que as mulheres são cidadãs de segunda categoria, o seu emprego na fiação da família Fiske é um passo importante rumo à emancipação. As "meninas da fiação" trabalham longas horas em condições precárias mas a alegria que as une é completamente nova para ela. Um dia, até dá por si a cometer a "extravagância" de celebrar o seu primeiro salário com a compra de um chapéu. É apenas um objeto mas vai ganhar a força de um talismã.

Inadvertidamente, Alice capta a atenção de Samuel Fiske, filho do dono da fábrica. Samuel é um enigma. Frio e impenetrável, tem o condão de contrariar frequentemente a própria família. O seu fascínio por Alice é a derradeira afronta aos pais e à ordem social. Será amor ou mero capricho?

O teste aos seus sentimentos será abrupto. Quando uma jovem muito especial aparece morta, toda a hierarquia de poder é posta em causa. O que se segue é um eco da luta ancestral entre ricos e pobres, poderosos e oprimidos. Apenas os mais determinados conseguirão vingar. Apenas um amor verdadeiro poderá sobreviver.

 

 

http://www.wook.pt/ficha/os-sonhos-que-tecemos/a/id/15976104

 

Opinião:

 

Fiquei interessada neste livro primeiro por causa da capa e depois pelo resumo. Tratra-se de uma boa história sobre a determinação das mulheres e as injustiças sociais vividas por muitos.

 

A história foca-se em Alice Barrow, que fugindo a uma vida dura no campo se torna uma operária fabril, trabalhando numa das fiações mais importantes de Inglaterra. Alice vive num dormitório para operárias e nos serões vai ficar a conhecer um pouco de cada uma das suas colegas. Alice parece gostar do trabalho que tem apesar deste ser duro. No entanto a pouco e pouco apercebe-se de algumas injustiças que acontecem na fábrica e tenta fazer com que a sua voz seja ouvida pelos patrões.

 

A história de amor? Um amor proibido pelas convençoes sociais, ela uma pobre trabalhadora mas corajosa e ele o filho do patrão que tenta ajudá-la a descobrir quem matou a sua melhor amiga da fiação.

 

A escrita desta autora fez-me lembrar de certa forma a de Lesley Pearse e mesmo o formato da história em grandes linhas, uma heroína enfrenta as agruras do destino, um romance proibido, muitos obstáculos. Gostei muito da componente histórica, vê-se que houve muito trabalho de fundo para a autora conseguir retratar de forma tão minuciosa certos promenores: o tratamento dado Às mulheres, ainda diferenciado dos homens; a questão dos direitos: no trabalho, nas instituições (tribunal, bancos) e no lar.

 

Fiquei muito surpreendida com este livro, pela positiva, fui atrás da capa e acabei por ler uma bela história que me prendeu do início ao fim.

 

Período de Leitura:  17 a 20 Setembro

 

Nota: 4 estrelas

0 comentários:

Enviar um comentário