16/01/2022

O homem mais feliz do Mundo, Eddie Jaku

 O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku

Edição: 03-2021

Editor: Objectiva

Páginas: 176

Período de Leitura: 10 a 15 de Janeiro


SINOPSE:

Eddie Jaku nasceu na Alemanha em 1920 no seio de uma família judaica, sempre carregando com orgulho a sua nacionalidade. No entanto, tudo isso mudou drasticamente em Novembro de 1938, quando foi detido, espancado e levado para um campo de concentração. Depois de sobreviver aos mais desumanos horrores, perder os seus familiares, amigos e o seu país, Eddie fez uma promessa: sorrir todos os dias. Hoje acredita ser o «homem mais feliz do mundo».

Por ocasião do seu 100. º aniversário, Eddie Jaku oferece-nos um testemunho poderoso, desolador e, ao mesmo tempo, derradeiramente optimista de como a felicidade pode ser encontrada até no momento mais sombrio da Humanidade.

Opinião:

                         Aviso *** não consegui dar opinião sem spoilers ***


Este é um pequeno livro com uma mensagem poderosa, no final deixou-me com umas lágrimas nos olhos e com a voz embargada. Como se fala de uma história assim? Como se faz jus ao que me acabou de ser contado? Que ser humano tão bonito, que ensinamentos bons nos transmite e que mensagem nos deixa. Para mim, o principal ensinamento que nos deixa Eddie é o de valorizar o que nos é mais precioso na vida. Que volvidos 77 deste acontecimento terrível, é hoje, um ensinamento ainda mais válido, considerando o actual cenário em que vivemos: 

“O meu pai dizia-me que oferecer dá mais prazer do que receber, que as coisas importantes da vida, os amigos, a família, a bondade, são muito mais preciosas do que o dinheiro. Um homem vale mais do que a sua conta bancária. Nessa altura, eu achava uma tontice, mas agora, depois de tudo o que vi, sei que ele tinha razão.”, Excerto de: O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 12.
“Na verdade, o meu pai proferiu palavras sábias, quando me disse que uma vida vale mais do que uma conta bancária. Há muitas coisas neste mundo que dinheiro algum pode pagar, e há coisas de valor incalculável. Família em primeiro lugar, família em segundo e família por último., Excerto de O homem mais feliz do mundo, página 18, Eddie Jaku

Eddie esteve inicialmente no campo de Buchenwald, fugiu para a Bélgica, como tinha conhecimentos de engenharia mecânica aí viveu e deu aulas um ano, tendo que se apresentar às autoridades por ser alemão! Da Bélgica fugiu para França com o pai, numa tentativa de irem para Inglaterra. Infelizmente, foram apanhados em Dunkerque, Eddie perdeu-se do pai, iniciou sozinho uma fuga a pé para o sul de França, foi apanhado e enviado para um campo de prisioneiros alemães em Pau, chamado Gurs. Daí, e devido um acordo feito entre a França e a Alemanha, foi deportado juntamente com outros 822 prisioneiros, para Auschwitz. Eddie conseguiu fugir do comboio em andamento, removendo os parafusos do fundo da carruagem com uma chave roubada a um oficial, perto de Estrasburgo encetou mais uma caminhada até ao apartamento que os pais tinham alugado. Com a ajuda de um amigo de família conseguiu de novo reunir-se com a família, os pais e a irmã Henni.
O relato a partir daqui torna-se cada vez mais cruel, sabemos dos os maus-tratos infligidos aos pais, ambos agredidos, e com marcas que permaneceram até à sua morte. Conseguimos sentir a mágoa de Eddie, por não saber onde estão os restos mortais ou cinzas dos seus entes queridos, as tias, que foram mortas no comboio que as levava para Auschwitz.

Eddie tinha uma família com uma essência tão boa, a bondade da sua família não tinha limites. Mesmo passando dificuldades, na sua mesa, quando se encontravam escondidos no sótão de uma pequena pensão, houve lugar para dois órfãos de 12 e 13 anos cujos pais foram levados pela polícia,  o amigo de Eddie, Kurt, também lá ia. Mas esta vivência foi de pouca duração, um dia o seu amigo desaparece, dias depois os pais, a irmã e Eddie são também capturados e enviados para um campo transitório em Malines, na Bélgica. O tom de Eddie nesta parte do  relato é de alegria, mas porquê? Porque conseguiram salvar os dois meninos órfãos, que com eles viviam, escaparam incólumes e estão ambos vivos ao dia de hoje. 

Esta felicidade é passageira, pois de seguida Eddie conta-nos o horror da chegada deles a Auschwitz, em Fevereiro de 1944. Sem saber nesse dia Eddie ficaria órfão, ambos os pais condenados à câmara de gás e em seguida levados para os crematórios. Esta parte foi dura de ler, por estas palavras: “Hoje ainda, caro leitor, se tiver essa oportunidade, vá até casa e diga à sua mãe que a ama muito. Faça isto pela sua mãe. E faça-o pelo seu novo amigo, Eddie, que já não pode dizê-lo à sua própria mãe.”Excerto de O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 52. Aqui e com um nó na garganta dei por terminada a leitura no primeiro dia que comecei este livro.
Nos próximos capítulos vemos retratado, o dia a dia de Eddie e o seu amigos Kurt em Auschwitz, de como foram despojados de tudo o que os caracterizava como indivíduo: o nome, os pertences e acima de tudo a sua dignidade, constantemente maltratados, abusados e sempre com a dura pena de não saberem se sobreviveriam para ver o nascer do próximo dia. Que atrocidades viveram estas pessoas. Mas Eddie, graças ao seu amigo nunca desistiu, lutou para sobreviver aos horrores vividos naquele campo e diz que o que lhe valeu foi a amizade:

“Esta foi a coisa mais importante que aprendi até hoje: o melhor que nos pode acontecer é sermos amados por alguém.Não posso deixar de salientar este aspecto, sobretudo junto dos jovens. Sem amizade, o ser humano está perdido. Um amigo é alguém que nos faz sentir vivos.” Excerto de O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 59

Eddie foi posteriormente enviado para uma fábrica, com o título de judeu indispensável, responsável por controlar 200 funcionários que tinham de se assegurar que a sua máquina não perdia a pressão e ele não podia permitir que as máquinas parassem sob pena de enforcamento. Aí descobriu que a sua irmã estava ainda viva e como muitos, estava em más condições. Agredido com uma pedra na fábrica Eddie é levado ao hospital e aí conhece um neuro-cirurgião que lhe pede que conceba uma mesa de operações e de certa forma o ajuda a passar algumas situações complicadas. A fábrica era um agridoce para Eddie, aí via a irmã, conseguia estar a salvo, mas tinha perfeita noção de que o trabalho deles servia para fabricar o gás que matava milhares de judeus nas câmaras de gás:

“Tornei-me engenheiro mecânico da IG Farben. Esta empresa cometeu alguns dos piores crimes contra judeus. Mais de trinta mil pessoas eram forçadas a trabalhar nas suas fábricas, que forneciam Zyklon B, o gás venenoso responsável por mais de um milhão de vítimas mortais nas câmaras de gás.
De certa forma, porém, estou grato às fábricas. Sem elas, estaríamos mortos. Mais de um milhão de judeus morreram em Auschwitz, mas existiam outros campos de concentração onde não havia trabalho nem nada que impedisse as SS de sonharem com um extermínio completo. Os donos da fábrica queriam manter-nos vivos e davam-nos injecções de vitaminas e glicose para nos manter a trabalhar. Era do interesse deles manter-nos suficientemente saudáveis para trabalhar.”, Excerto de O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 62

As privações, mesmo sendo considerado judeu essencial, eram muitas,  e Eddie  como muitos era assolado pela fome, falta de higiene , mas nunca foi capaz de roubar a outros prisioneiros para sobreviver, mas foi ele vítima de roubos de ração, que ele viu como falta de princípios da parte de alguns, mas tanto do lado dos judeus, como dos alemães:  “A falta de alimento não justifica tudo. Não há medicamento para os princípios. Quando perdemos os princípios, é como se nos perdêssemos a nós próprios.”, Excerto de O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 71

Eddie saiu de Auschwitz em 1945, a pé e com muitos outros prisioneiros, e foram parar a Gleiwitz, para pouco tempo depois, serem de novo ser levados para o primeiro campo onde tinha estado início desta tragédia. Em Gleiwitz deixou o seu amigo Kurt escondido num teto fechado com mais pessoas escondidas, pois não tinham forças para empreender tamanha viagem. Eddie tapou o buraco, deixou o seu amigo Kurt, e partiu, a pensar que talvez com um pouco de sorte se salvassem. A viagem de comboio foi muito dura, sempre debaixo de neve e em vagões abertos. Foi novamente o facto de saber mexer em maquinaria e ferramentas que levou à sua transferência para o campo de Sonnenburg, onde trabalhava numa fábrica subterrâne. Foi aí ajudado por um velho amigo do seu pai, que tinha lutado ao seu lado na primeira guerra. A fábrica foi bombardeada, após 4 meses, e com o aproximar das tropas russas e dos aliados, Eddie engrendra um plano de fuga por um tubo e escoamento de águas na lateral das estradas. Após uma fuga aparatosa, vaguear sem rumo, sobreviver de caracóis e lesmas, Eddie foi resgatado pelos soldados americanos e levado para um hospital sem muitas esperanças de vida. 

Já em Bruxelas, após seis semanas a lutar pela vida, quando teve alta, foi em busca da sua família, ia a uma cantina, conhecendo soldados de todos os cantos do mundo e sempre em busca de conhecidos! E foi aí, um dia, que também reencontrou o seu amigo Kurt!! Juntos procuram trabalho e alugaram um apartamento, Eddie começou a trabalhar como capataz de uma fábrica e Kurt como marceneiro. Mais tarde soube também que a sua irmãzinha Henni estava viva e trabalhava numa exploração de maçãs perto de Ravensbrück e fizeram planos para que fosse viver com Kurt e Eddie. 

Mesmo tendo o conflito terminado, e Eddie e o amigos bem de vida, sentiram que queriam ajudar outros, acolheram três raparigas que se tentaram suicidar, zelaram pela sua saúde e mantiveram-se em contacto por cartas. Foram construídas famílias, não unidas pelo laço de sangue, mas pelos laços de amizade, entreajuda e compreensão pelo outro. Eddie regeu-se sempre pelos ideais que lhe foram transmitidos pelo seu pai: “é dever de quem tem sorte na vida ajudar quem sofre, e que é melhor dar do que receber. Há sempre milagres no mundo, mesmo quando parece não restar qualquer esperança. E, quando não há milagres, podemos fazer com que aconteçam. Com um simples acto de bondade, podemos salvar outra pessoa do desespero, o que poderá ser suficiente para lhe salvar a vida. E este é o maior milagre de todos.”, Excerto de O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 99.

No entanto Eddie não se sentia feliz na Bélgica, era refugiado, vivia num país que fez vista grossa aos agressores, aos colaboracionistas, aos ladrões. Eddie chegou mesmo a ver um homem a usar um fato seu que tinha ficado no apartamento alugado pelos seus pais! E a sociedade não os aceitava, o anti-semitismo não era físico, mas assumia a forma de rejeição pela sociedade com comentários como: ahh você é judeu! Como foi caso, da visita de Eddie à família do prisioneiro a quem Eddie, no comboio, prometeu entregar a foto do seu casamento. 

Tanto Eddie como Kurt se casaram. Kurt conheceu Charlotte e Eddie conheceu Flore, uma judia de origem grega. Esta sobreviveu com a sua família, alguns anos em França com uma identidade falsa, para fugir aos nazis e evitar ser deportada com a família para campos de concentração. Eddie ganhou de novo uma família semelhante àquela que perdera com a guerra e com a chegada do primeiro filho conseguiu ser novamente feliz! A sua vida mudou para melhor e continuou assim como a de Kurt e a da sua irmã. Kurt emigrou para Israel e Henni para a Austrália, Eddie acabou por fazer o mesmo, pois não pôde permanecer na Bélgica com o estatuto de refugiado. Eddie na Austrália singrou na vida, comprou casa, teve uma oficina de reparação e venda de peças e automóveis, foi agente imobiliário, colaborou para a construção do museu dos judeus, para a associação de sobreviventes do Holocausto… deu palestras. Eddie não perdoou, nem deixou cair no esquecimento os 6 milhões de judeus que foram exterminados como se fossem uma praga, conta-nos a sua história para que não esqueçamos.

Afirma que foi um homem feliz, pela felicidade que encontrou na família, nas páginas finais lemos: “Eis o que aprendi. A felicidade não cai do céu; está nas nossas mãos. A felicidade vem de dentro de nós e das pessoas que amamos. Quem for saudável e feliz, é milionário. 
a felicidade é a única coisa no mundo que duplica de cada vez que a partilhamos. A minha mulher duplica a minha felicidade. A minha amizade com o Kurt duplicou a minha felicidade. E no seu caso, meu novo amigo? Espero que a sua felicidade também duplique.”, Excerto de O homem mais feliz do mundo Eddie Jaku, página 108

E deseja isto aos seus leitores:
Espero que tenham sempre muito amor para distribuir,
Muita saúde para dar e vender,
E muitos bons amigos que se preocupem convosco.”
Excerto de, O homem mais feliz do mundo, Eddie Jaku, página 120

Um relato sem floreados, numa linguagem simples, concisa, direta, e de certa forma intimista,  Eddie quer tocar a todos com a sua história, um pequeno livro, com uma grande história, contada em pouco mais que 100 páginas que nos toca, nos emociona, nos faz pensar no significado da vida, da vida humana, na nossa própria vida e no acreditar num mundo melhor, construído por bondade e por histórias que retrate. O passado, para que o mesmo não se repita... 

Classificação: 5 *****


Podem ler a sinopse ou adquirir o livro utilizando os meus links de afiliada! 

Wook: https://www.wook.pt/?a_aid=60fe8431a7210

Bertrand: https://www.bertrand.pt/?a_aid=6118def71f535

#desafiolivrólicos2022 #aromas_de_cor #lereessencial #Hol77


14/01/2022

A saga da Irmandade da Adaga Negra

 

A saga da Irmandade da Adaga Negra

Uma leitura Non-stop e compulsiva, eu gosto muito de fantasia, e também de livros com vampiros, já tinha lido muitas opiniões sobre esta saga e adiei sempre a leitura. Isto porque é composta por 18 livros publicados em Portugal, mas em Outubro não resisti e peguei num, li o primeiro e não consegui parar.

Esta saga de livros é escrita por uma escritora que se chama Jessica Bird, mas que adoptou o pseudónimo de J. R. Ward, começou a Irmandade da Adaga Negra há 15 anos e a autora já foi premiada com 2 prémios RITA.

A saga intercala-se com outras, os chamados spin-offs, com personagens que saem desta saga principal e têm as suas próprias histórias. Em baixo deixo a ordem de leitura da série. Eu optei por só ler mesmo os livros da Irmandade, mas a saga dos Anjos Caídos pode ser lida a partir do volume 9 pois passa-se em simultâneo, e inclusive (spoiler) uma personagem maléfica volta para atormentar a irmandade!! Isto no volume 18…

 

A ordem de leitura da saga da Irmandade da Adaga Negra (IAN) é a seguinte (incluindo spin-offs):

1. Na Sombra da Noite (Irmandade da Adaga Negra #1): Wrath e Beth

2. Na Sombra do Dragão (Irmandade da Adaga Negra #2): Rhage e Mary

3. Na Sombra do Pecado (Irmandade da Adaga Negra #3): Zsadist e Bella

4. Na Sombra do Desejo (Irmandade da Adaga Negra #4): Butch e Marissa

5. Na Sombra do Sonho (Irmandade da Adaga Negra #5): Vishous e Jane

6. Na Sombra do Amor (Irmandade da Adaga Negra #6): Phury e Cormia

Conto do Livro Guia Oficial da Série: Meu Pai (Zsadist & Bella) - não saiu em Portugal.

7. Na Sombra da Vingança (Irmandade da Adaga Negra #7): Rehvenge e Ehlena

8. Na Sombra do Destino (Irmandade da Adaga Negra #8): John e Xhex

9. Na Sombra do Perigo (Irmandade da Adaga Negra #9): Payne e Manello

Anjos Caídos #1: Cobiça (Vin & Marie Terese)

Anjos Caídos #2: Desejo (Isaac & Grier)

Anjos Caídos #3: Inveja (Veck & Reilly)

Anjos Caídos #4: Êxtase (Matthias & Mels)

Anjos Caídos #5: Possessão (Duke & Cait)

Anjos Caídos #6: Immortal (Jim & Sissy)

10. Na Sombra da Vida  (Irmandade da Adaga Negra #10): Tohrment e Autumn

11. Na Sombra da Paixão (Irmandade da Adaga Negra #11): Qhuinn e Blay

12. O Rei (Irmandade da Adaga Negra #12): Wrath e Beth

13. Os Sombras (Irmandade da Adaga Negra #13): Trez e Selena

Legado:  #1 Beijo de Sangue: Paradise e Craeg (Spin-Off: Série Legado da Irmandade da Adaga Negra)

14. A Besta (Irmandade da Adaga Negra #14): Rhage e Mary

Legado: #2 Voto de Sangue: Axe e Elise (Spin-Off: Série Legado da Irmandade da Adaga Negra)

15. A Escolhida (Irmandade da Adaga Negra #15): Xcor e Layla

Legado: #3 Blood Fury: Peyton e Novo (Spin-Off: Série Legado da Irmandade da Adaga Negra)

#15.5: Dearest Ivie (Silas & Ivie) – não publicado em Portugal

16. A Ladra ( Irmandade da Adaga Negra #16): Sola e Assail

#16.5: Prisioneiro da Noite: Ahmare e Duran – não publicado em Portugal

17. O Salvador (Irmandade da Adaga Negra #17):  Murhder e Sarah

Legado: #4 Blood Truth: Boone e Helaine (Spin-Off: Série Legado da Irmandade da Adaga Negra)

Conto de Natal: Where Winter Finds You (Trez & Therese)

18. O Pecador (Syn & Jo Early)

Prison Camp #1:  The Jakal: Nyx e Jackal (Spin-Off: Série Prison Camp)

Conto de Natal: A Warm Heart in Winter: Blay e Qhuinn

19. Lover Unveiled: Sahvage e Mae

The Lair Of The Wolven #1: Claimed (Lydia Susi & Daniel Joseph)

Prison Camp #2: The Wolf (Lucan & Rio) (Spin-Off: Série Prison Camp)

20. Lover Arisen (Balthazar & Erika) »  (Lançamento EUA: 05/04/2022)

The Lair Of The Wolven #2: Forever (Lydia Susi & Daniel Joseph) » (Lançamento EUA: 26/07/2022)

21. Lassiter » (Lançamento EUA: 2023)

 

-- Sobre o enredo de Irmandade da Adaga Negra --

A história apresenta-nos uma sociedade vampírica que vive numa cidade chamada Caldwell. A sociedade é dividida em classes, a glymera, sendo a nata da sociedade, que é protegida por um grupo de vampiros guerreiros, treinados e criados para defender os vampiros da maléfica Sociedade dos Minguantes (os lessers), seres criados pelo Omega que tem como objectivo a extinção da Irmandade e de todos os vampiros.

A irmandade é ajudada pelas Escolhidas, fêmeas superiores, que vivem numa espécie de paraíso com a Virgem Escrivã, uma deusa que de certa forma criou um programa de reprodução que deu origem aos guerreiros da Irmandade e às escolhidas que os servem. Mas os tempos evoluem e com Wrath assumindo o papel legítimo de monarca as coisas vão mudar e evoluir para uma sociedade mais adaptada aos tempos modernos como iremos ver ao longo dos livros. Não me consigo decidir qual o meu favorito, mas gostei muito da história de Vishous e Murdher.

A constante luta da irmandade a par com a batalha contra o mal que assola a cidade e os seus amores, dilemas pessoais, lutas interiores e acompanhados por personagens caricatas, como o anjo Lassiter e personagens com aptidões especiais de outros reinos, como os Sombras, ou os symphats… esta sociedade reflete a luta constante pelo equilíbrio, o predomínio do bem sobre o mal, a justiça… não podemos ler estes livros de forma independente, a autora criou uma rede de histórias, de personagens que se entrelaçam e combinam-se no universo fantástico, interessante e complexo que é a saga da Irmandade da Adaga Negra.

O Guia Oficial (não publicado em Portugal), lançado depois do volume 6. O guia detalha o perfil de cada irmão e tem cenas não publicadas nos outros livros e a história detalhada sobre o nascimento de Nalla, uma bebé vampírica filha de Zsadist e Bella, irmã do rei sympath.

 

Saga Anjos Caídos (Fallen Angels) - publicada em Portugal

A saga decorre em Caldwell, em simultâneo com as histórias que decorrem na saga da Irmandade Negra, entre os volumes 9 e 10. São 6 volumes que retratam os pecados capitais, conta-nos o que acontece a Tohrment após a perda da sua shellan, o que é interessante pois não sabemos muito sobre isto. A saga foca-se, num anjo em especial, mas não é Lassiter! Acabam por aparecer muitas personagens da Irmandade, como Trez, iAm, Xhex, De La Cruz, Veck, e Devina a vilã da saga, e reaparecerá mais tarde, os vilões de Ward tendem a desaparecer e a voltar.

 

Saga O Legado (Legacy) - não publicada em Portugal

Na saga da Irmandade cada livro retrata uma história de amor individual focando-se muito no casal, no entanto, não deixamos de acompanhar os outros casais, os seus desafios, a evolução na sua relação, fiquei com muito medo, por exemplo do que se passava com o casal Vishous e Jane… Bom a saga Legado, seria um spin-off da saga principal, no entanto, acabou por ser muito mais que isso retratando situações cruciais em detalhe que não foram referidas ou tão detalhadas na saga principal, e claro acompanhamos os relacionamentos de novos casais que desafiam normas da sociedade, a moral e os bons costumes…

 

Saga Prision Camp - não publicada em Portugal

Um spin-off da saga da Irmandade da Adaga Negra, que retrata as histórias dos prisioneiros que vivem no campo secreto da glymera. A ser lida a seguir ao livro 18 da Irmandade da Adaga Negra.

 

The Lair Of The Wolfen - não publicada em Portugal

Uma saga que continua no mundo da Irmandade, que retrata a história de uma cientista que tudo fará para salvar os lobos cinzentos. A saga já conta com dois volumes.

 

A Caldwell Christmas - não publicadas em Portugal

Livros independentes que se passam na época natalícia, Série de livros independentes, que se passam no universo de IAN, e que são ou não relacionados ao fim do ano. Os dois livros são: Where Winter Finds You, que se fica sobre o casal Trez e Therese e  e A Warm Heart in Winter que recupera um dos casais mais simbólicos da Irmandade, Blay e Quinn.

Outros: Guia Oficial da Série: Um livro com um conto inédito de Zsadist e Bella, cenas excluídas dos livros, várias curiosidades e uma troca de diálogos simplesmente indescritível entre a própria autora e os Irmãos.

História familiar – Mistérios noturnos – Dec. 2008, (contém um conto escrito por J.R. Ward que se passa no mesmo universo).

Ainda não li os spin-offs e certamente irei fazê-lo, de salientar que o volume 19 deve estar quase a sair. Mas ainda não é desta que chegamos à história de Lassiter… faltam uns poucos para lá chegarmos. O que dizer desta série? É fantástica! Um mundo complexo, fantástico e ao qual nos rendemos sem dar conta.

Podem ler a sinopse ou adquirir o livro utilizando os meus links de afiliada! 

Wook: https://www.wook.pt/?a_aid=60fe8431a7210

Bertrand: https://www.bertrand.pt/?a_aid=6118def71f535

#desafiolivrólicos2021 #aromas_de_cor #lereessencial

09/01/2022

A vida livresca de Nina Hill, Abbi Waxman

A vida livresca de Nina Hill, Abbi Waxman

Edição: 10-2021

Editor: Topseller

Páginas: 336

SINOPSE

Nina Hill tem uma vida confortável: trabalha numa livraria, participa em concursos de cultura geral com uma equipa fantástica, tem uma agenda muito organizada onde anota tudo o que é importante e partilha a casa com o seu gato Phil. 

Filha única de uma conceituada fotógrafa que se tornou uma mãe ausente devido às constantes viagens, é nos livros que devora a toda a hora que Nina encontra o seu refúgio e os seus momentos de verdadeira felicidade.

Quando recebe a notícia da morte do pai, de quem nunca soube nada, Nina fica em choque. De um momento para o outro, o seu núcleo familiar passa a incluir um irmão, três irmãs e vários sobrinhos e sobrinhas, todos a viverem perto! E pior… Esta horda de desconhecidos parece estar cheia de vontade de conviver com ela, o que vai totalmente contra as suas tendências antissociais.

Como se essa não fosse já uma mudança suficiente na sua rotina, Nina vê-se também perante a presença cada vez mais constante de Tom, o seu maior adversário nas noites de quiz, que afinal até é um homem querido, divertido e profundamente interessado em conhecê-la melhor.

Será ela capaz de sair da sua zona de conforto e trocar a ficção pela vida real?

Finalista do prémio Goodreads para Melhor Livro de Ficção.

                                                     ************

Início: 03/01/2022 Término: 08/01/2022

Opinião: Que bela maneira de começar o meu ano livrólico dentro do meu género favorito e com um dos temas que mais gosto, livros sobre livros ou livrólicos apaixonados!  Nina Hill é uma protagonista fantástica, dotada de uma imaginação que só posso caracterizar como hiperactiva e de uma personalidade única! Nina constrói histórias dentro da sua cabeça, olha para uma cliente e imagina como a poderia matar enquanto sorri; quando decide mudar o seu método de organização e passar de uma agenda a um bullet journal inventando a história de uma Brooke que iniciou este método, descrevendo-a como uma viciada em maquiagem e Instagram que lança uma empresa à escala mundial…  histórias, personagens que ganham vida dentro da sua imaginação, e que se desenrolam em simultâneo com a sua vivência no mundo real. Mas apesar de toda esta imaginação, nunca lhe tinha ocorrido que iria ter notícias do seu  pai… que lhe deixa uma herança e uma família peculiar!

Nina que é uma pessoa extremamente organizada, fiel a uma rotina quase monitorizada ao cronómetro vê a sua vida “ invadida” pelas personagens peculiares que pertencem à sua nova família. Nina não está  feliz, nem os quer receber de braços abertos, pois não só interrompem a sua rotina, como também as suas noites de quiz, onde Nina encontra Tom, um rival que lhe faz acelerar o coração. A parte da história sobre a agenda é hilariante, Nina consegue sempre encontrar-se com Peter o sobrinho, Archie o irmão, mas não consegue arranjar um furo para jantar com Tom? Mesmo quando ele a topa e tenta jantar no dia em que ela tem marcado na agenda 3h de nada??? Acho que Tom até considerou ver a maratona de filmes da Jane Austen… Nina, Nina… ele está enamorado!! E Nina um pouco solitária e indecisa entre o inesperado e o planeado (entre pertencer a pessoas e viver com inesperados ou viver com os seus livros e a sua rotina organizada): 

O átrio de entrada da biblioteca era lindo, como o de uma catedral, e Nina olhara em volta e percebera que nunca se lhe esgotariam as coisas para ler, e essa certeza encheu-a de paz e satisfação. Pouco importava as porcarias que acontecessem, enquanto houvesse no mundo livros por ler, ela estava bem. Estar rodeada de livros era o mais próximo que já se sentira de pertencer a um grupo. Os livros davam-lhe apoio, e a não ficção, pelo menos, revelava-se disposta a lutar.”, capítulo 16.

Mas o destino reserva-lhe algumas aventuras… Tom e Nina encontram-se no casamento do irmão dele e começam uma relação, o seu mundo seguro vai abanar com a notícia do senhorio da loja onde trabalha… nestes momentos vemos  Nina fugir para o seu mundo seguro, mas sempre com alguma ficção pelo meio, em especial os diálogos com o seu gato… entre eventos inesperados, como a leitura do testamento, o receber um carro, uma carta do pai, participar numa manifestação, criar um laço com a sobrinha rebelde Lydia e fazer as pazes com Tom… Nina vai abandonar a sua rotina e abraçar estas novas relações e o inesperado!

Confesso que me identifiquei um pouco com Nina, a minha cabeça encontra-se sempre repleta de ideias (nao histórias), sei um facto estranho ou dois… tenho a mania da organização, este ano, pasmem-se não comprei agenda e optei por um caderno para anotar tudo e nada… o meu humor é um pouco como o dela e sou certamente capaz de lançar uns comentários mordazes!

A autora tem uma escrita que só posso descrever como cativante, as palavras fluem de tal forma que quando dei conta já li mais um capitulo, e é por isso que este se torna um livro de muito fácil leitura. 

Classificação: 5 *****

Podem ler a sinopse ou adquirir o livro utilizando os meus links de afiliada! 

Wook: https://www.wook.pt/?a_aid=60fe8431a7210

Bertrand: https://www.bertrand.pt/?a_aid=6118def71f535

#desafiolivrólicos2022 #aromas_de_cor #lereessencial

08/01/2022

Os meus blogues preferidos!!

Quem vive de livros e vive para os livros, lê opiniões, procura informações sobre séries, livros do momento, livros mais antigos, informações sobre autores… e onde encontramos esta informação?

Em blogues literários! Temos blogues para todos os géneros, preferências e cima de tudo que nos falam! Todos praticam um pouco de livroterapia, de biblioterapia, falam de livros, de autores, de sentimentos para com o livros, as suas personagens e a sua história. E refletem que um mesmo livro, por exemplo, não nos fala a todos da mesma maneira! Abaixo encontram os meus preferidos, os que sigo e os que gosto!



1. Livros? Gosto!

https://livrosgosto.blogspot.com

No blogue da Maria João Covas a primeira publicação data de Julho de 2017. As suas opiniões são fantásticas. Eu adoro ler, ouvir e ver os conteúdos partilhados por ela no blogue, página de Facebook e no seu canal?



2. Um blog entre bibliotecas: 
http://www.umblogentrebibliotecas.pt


A Liliana tem um projecto de doação de livros a bibliotecas. A par com as suas opiniões tem fotos fantásticas. No blogue diz: “Eu, Liliana Carvalho, sou "apenas" uma blogger. Não sou uma biblioteca, não trabalho em bibliotecas, e a minha lealdade e homenagem é para com todas as bibliotecas de Portugal (e do mundo), sejam elas municipais ou de freguesias ou de hospitais, sejam elas de que tipo forem, desde que ofereçam os seus serviços ao público: Livros, filmes, jogos, música, jornais, cultura, actividades, ... 

As bibliotecas fascinam-me, foram e continuam a ser o meu refúgio e criei este blog/projecto para as homenagear e dar-vos a conhecer o mundo das bibliotecas, e o que elas nos têm para oferecer, enquanto o meu blog vos oferece também a parte de blog literário: onde comento os livros, filmes, séries, etc que leio/vejo e partilho convosco, entre algumas publicações de interesse geral, cultura, lendas e mais que podem descobrir aqui neste cantinho.” Tem página no Facebook.”


 


3. As Leituras da Fernanda:
http://as-leituras-da-fernanda.blogspot.com

O blogue existe desde Janeiro de 2005. A sua autora é a Fernanda, que nos diz: “Olá! O meu nome é Fernanda Carvalho e confesso, sou uma aficionada por tudo o que diga respeito a livros. :) Para mim ler não é apenas ler. Ler é voar. É descobrir o mundo. É encontrar coisas nossas nas histórias dos outros. Este blog é o registo dos livros que li, que quero ler, que comprei, que quero comprar, que me ofereceram ou que me emprestaram. Enfim, os livros com que me cruzei e que de uma forma ou de outra deixaram uma impressão nas páginas da minha vida.” A Fernanda já deu entrevistas partilhando a sua opinião sobre diversos autores, sobre os livros que lê, as sua opiniões são sempre muito concisas e focam-se no livro, mas personagens e na história. Gosto muito da sua maneira de escrever. Tem página no Facebook.


 

4. Algodão Doce para o Cérebro: 
https://algodaodoceparaocerebro.blogspot.com


As Autoras: Ne e Mafi, em baixo deixo a descrição que deixam no seu blogue de cada uma delas.

Ne...

Sem acento agudo ou circunflexo e completamente viciada em Nora Roberts, Inês Santos nasceu e mora em Coimbra. Sempre com uma resposta na ponta da língua, não deixa nada por dizer, seja um elogio ou uma crítica. Desde ontem que não lê nada, porque tem estado a organizar este maravilhoso blog! Promoções? É com ela! Detentora de uma biblioteca paradisíaca , adora emprestar os seus livros. Tenta cumprir os seus planos de leitura, mas deixa-se facilmente levar pelas novidades que aparecem. Habituada às andanças dos blogs, deu-lhe para criar mais um e claro que eu não poderia recusar não é? Afinal como é que posso resistir à minha e-bff que me oferece livros no Natal e manda-me sms a meio das aulas a perguntar se eu quero ir ao cinema em Coimbra?! 

Mafi...

Lady M, *Eme*, Mafalda Férias, ela tem muitos nomes, mas o que tem de melhor é que é sempre a mesma: uma personagem e tanto! Podemos contar com ela para ler livros do mais eróticos possíveis, para saber as últimas novidades ainda antes de as editoras saberem, para ler opiniões de metro mas sem palha nenhuma, enfim! Eu é que sei o que me riu e o que aturo. E só sei que desde que conheço a Mafi a minha sobrancelha direita está sempre um pouco mais acima que a esquerda, sempre à espera da próxima dela! É por estas e por outras que este projecto me entusiasmou tanto, por finalmente poder trabalhar com ela e criar algo com qualidade e com muito boa disposição! Para durar... é o que eu acredito.


 


5. Quando se abre um livro:
 
https://quandoseabreumlivro.blogspot.com

A Daniela Maciel  é a autora deste blogue, a primeira publicação data d Julho de 2012. “Este é o meu novo blog, dedicado unicamente à minha grande paixão que são os livros. Será um espaço onde escreverei as minhas opiniões, partilharei gostos, desejos, aquisições, tudo na esfera da literatura. O nome do blog Quando se abre um livro… deve-se ao facto de que tudo pode acontecer quando pegamos num livro e nos perdemos nas suas páginas. As emoções, as histórias, as personagens, os dramas, os sorrisos, são imensos. Um livro é um verdadeiro amigo que nos transporta para outras realidades, outros mundos, e nos proporciona aventuras inesquecíveis!”

Adoro o desafio que lançou no ano passado, o Ataque à estante, creio que o vou fazer aqui em casa este ano a par com o desafio do Livrólicos. A Daniela é também a autora do livro A maldição na casa da colina e também tem uma página no Facebook.



 
6. Leituras e devaneios:

http://leituras-e-devaneios.blogspot.com


A Mónica fundou este blogue em 2008, “para expor os meus devaneios pessoais e algumas opiniões (que valem o que valem) sobre alguns dos livros que vou lendo. A leitura é definitivamente uma paixão e, comprar livros um tremendo vício! Não fumo, não bebo bebidas alcoólicas (aliás o chá é a minha bebida preferida) e não gosto de noitadas, em alguma coisa tinha de gastar o €€ que, como actual desempregada, não se pode dizer que tenha de sobra LOL.Existem muito bons blogs por essa blogosfera fora que falam sobre livros. Este que agora se inicia não aspira sequer a chegar aos calcanhares da maioria. Os meus gostos literários recaem mais sobre literatura fantástica e histórica, se bem que há de tudo um pouco na minha modesta mini-colecção literária.Espero que gostem deste meu cantinho que é de todos e que deixem o vosso comentário ou sugestões literárias. São todas/os muito bem vindas/os.”. Tem página no Facebook.

 



7. Estante de Livros: 
https://www.estantedelivros.com/2010/03/blogs-literarios.html


A autora do blogue chama-se Célia, a primeira publicação do mesmo é de Julho de 2007 e diz:  “O principal motivo que me leva a abrir este blog dedicado aos livros é o meu amor por eles. Para mim, há poucas coisas que se comparem à sensação de imergir-me numa história bem contada, imaginar personagens, locais e momentos e sentir-me transportada para um mundo diferente. E sabe tão bem ler um livro onde é possível saborear cada palavra escrita…”. Tem página no Facebook.

 


8. Crónicas de uma Leitora: 
https://cronicasdeumaleitora.blogspot.com

Um blogue composto por três autoras:  Adeselna Davies, Mafi, Titinha SCaeiro e Vera Carregueira. Que se descrevem desta forma: “Somos três amigas completamente fascinadas por livros, filmes e séries. A nossa missão é mostrar as novidades da semana, destacar alguns livros que recebemos e escrever as nossas opiniões, sempre honestas, do que vamos lendo. Queremos trazer também as novidades das adaptações de livros ao grande ou pequeno ecrã.”

 



9. As leituras do Corvo:
 
http://asleiturasdocorvo.blogspot.com

A autora deste blogue é a Carla Ribeiro, diz-se: ”Apaixonada por livros e por toda a magia que neles existe. Vivo nas palavras os sonhos de mil mundos.” A primeira publicação no blogue data de Janeiro de 2009. Tem página de Facebook.

 





10. A Viciada dos Livros:

http://aviciadadoslivros.blogspot.com

É um blogue de três ávidas leitoras, a Raquel, a Carla Marques e a Ana. As opiniões estão divididas pelas autoras e cada uma delas revela ter gostos diferentes mas sempre com óptimas leituras! Têm também página no Facebook. 




11. Histórias soltas presas dentro de mim:
https://wwwescrevinhados-cantarinha.blogspot.com

Este foi um dos blogues mais recentes que comecei a seguir. Conheci a Célia através de um grupo de livros e desde aí que anseio pelas suas opiniões. O Blogue da Célia Gil, professora de português, com uma enorme paixão pela biblioteca da sua escola! Escreve pensamentos soltos, histórias, poemas e umas resenhas fantásticas!! Leitora ávida. Com uma voz fantástica, que nos deixa sugestões de leitura excelentes e a não perder! 

 


E conhecem este meu blogue? O Aromas de Cor:  http://aromasdecor.blogspot.com

Este é o meu modesto cantinho, começou em 2012, quando atravessei uma fase de mudança na minha vida profissional. Acompanha os meus interesses, as diferentes etapas da minha vida. Quando me interessei por culinária, e coloquei as receitas que ia fazendo. Quando me preocupava com a organização e partilhava as listas de ementas e compras.  Quando  veio o baby, e partilhei as minhas aulas, algumas das minhas aventuras neste novo mundo de mãe. Os hobbies de sempre, o croché, a costura e a leitura (sempre a leitura).

O blogue divide-se em várias secções:

- Home: onde se encontram as publicações por data;

- Eu e o blog: publicações sobre as mudanças que também o blogue já atravessou, as mudanças de visual, de organização, as datas especiais…

- Pequenos Prazeres, tem subcategorias:     

.Leituras: onde deixo todas as minhas opiniões sobre os livros que li, os desafios livrólicos, temas ligados à leitura/literatura.

.Filmes: opiniões sobre filmes/séries 

. Crochet: trabalhos que já realizei em crochet.

. Costura: as minhas costurices.

. Jardinagem: as flores que já plantei, apanhei e vou cuidando.

- Coisas que me inspiram: cores, estações, objectos, receitas…

E outras mais como: 

- Baby

- Ementas

- Receitas

- Festividades

- Afiliados

- Outros cantinhos (de receitas, de leituras…)

Foi desenhado por mim, e ainda hoje, me debato com o html quando quero acrescentar uma nova secção ou fazer alguma mudança. Mas vou conseguindo, com tempo e paciência. Já percorri um longo caminho, fará 10 anos este ano e é notória a minha evolução, na escrita, nos conteúdos… mas sempre bem acompanhada pelos livros e pelas pessoas que deles gostam.

 

Existem centenas de blogues, se calhar melhores que estes, mais cultos, com leituras mais interessantes, com outras  temáticas, mas estes são o pai que eu sigo e aprecio, e quando procuro uma opinião sobre um livro são aqueles que vejo primeiro!

 

Boas leituras!!!