30/10/2014

Leituras de Agosto: Razões do Coração, Rosalind Laker


Título: Razões do Coração
Autor: Rosalind Laker
Data da Publicação: 2009
Editora: Edições Asa
Páginas: 304

Sinopse
Paris, 1894. Num impulso do qual nunca se arrependerá, Lisette Decourt foge de casa na véspera do seu casamento. Apesar de ter jurado nunca mais se apaixonar, quando conhece Daniel Shaw fica imediatamente fascinada pelo sedutor inglês e pelo seu espectáculo de "lanterna mágica", a arte precursora do cinema. O destino acaba por separá-los e Lisette refaz a sua vida como mulher independente e bem-sucedida, mas os seus sentimentos mantêm-se inalterados: ela não consegue esquecer Daniel. Quando o acaso volta a juntá-los, ele é já um realizador famoso, e vê nela a aura de magia capaz de a transformar numa grande estrela de cinema. E ele tudo fará para que nada impeça o seu sonho…
Pela mão de uma das mais apreciadas escritoras de romances históricos da actualidade, Brilliance recupera a época mítica em que o cinema dava os primeiros passos e apresenta-nos uma das suas fascinantes e inesquecíveis estrelas.
http://www.wook.pt/ficha/razoes-do-coracao/a/id/1526178

Opinião:

Mais um dos livros que veio cá parar a casa e que comprei num pack promocional, e que pensando hoje não teria comprado. Isto não pelo livro, mas porque considero que foi muito caro. Como agora compro os livros todos online, tudo o que passe os cinco ou seis euros já é para mim caro. Com os cerca de vinte euros que custou o pack, hoje compram-se pelo menos três livros.

Bem e este livro? Esteve dois anos na estante, agora foi lido e está no monte de livros que quero vender. Não faz o meu género de história. Ultimamente, tenho lido mais, e cada vez me identifico mais com fantasia ou romance cor-de-rosa de levar às lágrimas. O ano passado foi dedicado às leituras com vampiros, este ano já foram trolls, reinos mágicos e ainda não acabou…

Mas agora voltando ao livro. A protagonista, Lisette, é daquelas heroínas a quem tiram o tapete debaixo dos pés num momento de grande fragilidade. O seu pai morre e ela é traída pelo noivo e pela madrasta. A solução? A fuga.

O seu mundo outrora perfeito, conforto, casa maravilhosa, uma boa relação com o seu pai e madrasta, é abalado com a traição de duas pessoas que ela julgava que a amavam. Mas sucumbindo ao desejo a sua madrasta e o seu noivo mantêm uma relação que é descoberta por Lisette.

Lisette foge e conta com a ajuda de Daniel que tem um espectáculo itinerante de lanterna mágica. Tornando-se ajudante de Daniel, Lisette conhece um mundo mágico e o verdadeiro amor. No entanto decide fugir, Daniel fica inconsolável e ela passará por muitas provações que vêm comprovar a sua coragem para enfrentar a vida e afastá-la da imagem de futilidade que tínhamos inicialmente.

Acaba por ser um livro com uma componente didáctica, já que nos apresenta o início do cinema, fala-nos dos irmãos Lumiére, dos filmes, cenários, de técnicas. Os espectáculos de lanterna mágica com imagens paradas, os sons produzidos à medida que as imagens eram passadas, para imprimir realismo à história que se estava a contar. Há que congratular a autora pelas descrições que nos fornece pois são extremamente detalhadas e interessantes.

Após muitos encontros e desencontros Daniel e Lisette juntam-se e dão fim a esta história de amor, dando os primeiros passos no cinema e produzindo belas histórias.
  

*********************************************

25/10/2014

Queijadinhas de Leite

Bem esta receita não é aconselhada a quem está de dieta ou a pensar numa alimentação mais saudável. É perfeita para os dias de festa e aquelas ocasiões especiais em que apetece algo doce e muito bom! É o caso destas queijadinhas.

A receita veio da minha mãe que a passou a todas as mulheres da família e hoje é uma iguaria conhecida cá por casa e arredores.

Ingredientes:

400 gramas de açúcar
100 gramas de farinha
50 gramas de manteiga
meio litro de leite
2 ovos

Preparação:

Numa taça misturar o açúcar com a farinha e mexer bem. Juntar os ovos um a um e mexer bem. Cerca de de minutos. Depois derreter a manteiga e juntar ao preparado anterior. No fim juntar o leite e mexer bem.

Colocar em formas untadas e polvilhadas com farinha. E levar ao forno a 180º por cerca de meia hora.

A quantidade indicada dá para cerca de 18 a 24 queijadinhas dependendo do tamanho da forma. A quantidade nas formas deve ser metade, porque elas crescem um pouco.


Só consegui tirar esta foto! Aproveitem bem!

23/10/2014

Leituras de Agosto: Ao encontro do nosso Amor, Michael Baron


Título: Ao Encontro do Nosso Amor
Autor: Michael Baron
Data da Publicação: 04/2012
Editora: Quinta Essência
Páginas: 200


Sinopse:
"A história de um amor imortal. Joseph, um homem à beira dos quarenta anos, acorda desorientado e constrangido num local que não reconhece. Parte numa viagem para encontrar a sua casa, sem saber para onde vai, orientado apenas pela visão preciosa e indelével da mulher que ama. Antoinette é uma mulher de idade, que vive numa residência para séniores e que se refugiou no seu mundo interior. Aí, o corpo e a mente não a atraiçoaram. Aí, é uma jovem recém-casada com um marido que a idolatra e uma vida inteira de sonhos para viver. Aí, ela está verdadeiramente em casa. Warren, filho de Antoinette, é um quarentão anos que atravessa uma das fases mais difíceis da sua vida. Com tempo a mais, resolve tentar recriar as recordações de casa confeccionando os melhores pratos da mãe e saboreá-los com ela. Joseph, Antoinette e Warren são três pessoas que andam à procura de casa, cada uma à sua maneira. No modo como se ligam umas às outras nesta fase crítica das suas vidas reside o fundamento do tipo de história profunda e comovente que nos habituámos a esperar de Michael Baron."
http://www.fnac.pt/Ao-Encontro-do-Nosso-Amor-Michael-Baron/a565946


Opinião:

Foi o primeiro livro que li do autor e talvez o último. A história é muito bonita, mas um pouco água sem sal, o livro é curto e nem percebo bem se o foco é sobre a história da mãe ou do filho. É assim uma narrativa, pequena, sem sobressaltos e com o fim esperado e tem o lado de sobrenatural que não me cativou e ainda me deixou mais confusa.

A visão do paraíso como muitos idealizam: os parentes que partiram, a vivência da vida idílica que nunca tiveram lá “em baixo”, tão doce que chegamos a ficar um pouco enjoados. Conhecemos a mãe Antoinette, um pouco debilitada, que passa os seus dias perdidos na sua vida de felicidade, com o maridos e os filhos, presa nas velhas memórias onde que estar. Conhecemos também o seu filho que atravessa uma espécie de crise de meia-idade, não tem mulher, emprego e não sabe que rumo dar à sua própria vida.

Warren foca-se então na sua mãe, e através de memórias de sabores da sua infância tenta tirar a sua mãe do estado de apatia em que se encontra e ao qual se entrega de dia para dia. E a pouco-e-pouco vai ser ele a encontrar o sentido para a sua vida.

Pelo meio temos ainda Joseph, um homem que acorda um dia num local estranho e que não se lembra de quem é e do que anda à procura, sabe sim que tem algures uma esposa carinhosa que o espera. Ele parte numa viagem acompanhado de um jovem que também está sem rumo.

O livro parece ser sobretudo sobre a procura de algo e acima de tudo as atitudes (pessimistas ou corajosas) e a esperança e a fé que as pessoas têm e acima de tudo. Warren esperava uma vida melhor e que a sua mãe ficasse também melhor; Antoinette esperava reencontrar o marido e o filho falecido há algum tempo e Joseph esperava encontrar a sua mulher.

Obstáculos ultrapassados: Warren cozinhou sempre para a sua mãe, não sabendo as receitas, não tendo os utensílios e não tendo mesmo a colaboração desta. Antoinette reencontrou o marido e filho num plano superior e Joseph encontrou a esposa. E esta parte foi a que mais me desagradou! Foi um fim precipitado! Afinal ele era o marido de Antoinette? E o jovem o filho em não se lembravam e depois já estavam todos felizes no céu?

Depois há a história de Warren, ficou por contar! Afinal ele começa uma relação com a enfermeira e depois o autor deixa essa história por contar… Já sabem como é a curiosidade matou o gato, eu estava curiosa com este livro mas depois fiquei desapontada não com a história global porque fala de uma relação familiar muito bonita, mas pelo que ficou por contar.

O que mais me agradou? Os relatos de Warren sobre a comida, as descrições, por vezes senti que poderia estar lá com eles a saborear aquela refeição! 



Esta parte foi muito bem explorada e concebida. Só é pena que o mesmo não tenha acontecido na globalidade da história! Uma leitura muito rápida e leve, boa para os dias de Verão.


*********************************************


18/10/2014

Leituras de Agosto: As cinquentas sombras livre, E. L. James

E com este volume acabei a trilogia mais falada nos últimos tempos... Outra leituras virão! Esta já acabou!

Título: As Cinquenta Sombras Livre
Autor: E. L. James
Editora: Lua de Papel

Número de Páginas: 624

Publicado em: 2012


Sinopse:
Quando a jovem e inocente Anastasia Steele encontrou pela primeira vez o impetuoso e fascinante milionário Christian Grey, começou entre eles um affair sensual que lhes mudou a vida para sempre. Assustada e intrigada pelas singulares inclinações eróticas de Grey, Anastasia exige um compromisso total na relação. Com medo de a perder, ele aceita.

Agora Anastasia e Grey têm finalmente tudo o que desejavam - o amor, a paixão, a intimidade, uma riqueza incalculável - e todo um mundo de possibilidades à sua espera. Mas ela sabe que amá-lo não será fácil, e que estarem juntos vai implicar ultrapassar barreiras que nenhum deles poderia prever. Anastasia vai ter de aprender a partilhar o estilo de vida de Grey sem sacrificar a sua identidade. E ele terá de aprender a superar o seu obsessivo impulso de tudo controlar, enquanto se debate com os demónios do seu terrível passado.
E quando tudo parece estar conjugado para que ambos consigam finalmente ultrapassar os maiores obstáculos, o destino conspira para tornar dolorosamente reais os maiores medos de Anastasia.
http://www.wook.pt/ficha/as-cinquenta-sombras-livre/a/id/14234793

Opinião:

E uma semana depois cheguei a casa e li o último livro desta trilogia. Grey continua obcecado pelo controlo, de como Anastasia se comporta, daquilo que come mas agora como marido. Anastasia? Continua rebelde, desafiando tudo e todos, inclusive Grey, levando-o quase ou mesmo à loucura.

Este livro foi um pouco confuso para mim e alguns elementos ou detalhes que eu dispensava mesmo! Eu a pensar que agora a autora ia explorar mais a relação depois de casados, os conflitos, a vivência com a família, introduzir algum elemento surpreendente do passado de Christian mas não! Começamos com uma lua-de-mel idílica, com Ana a desafia Christian, algumas cenas de sexo tórrido e depois passamos a descrições tão íntimas como ele a fazer-lhe a depilação, sim a pequena casa-se, e coitada não tem tempo de ir à depilação… aparar a linha do biquíni?! Poupem-me aqui sinceramente isto era escusado!

Passamos então a fase da lua-de-mel e regressamos à realidade, primeira disputa do casal, o sobrenome, ele quer que ela seja Grey e ela insiste em manter Steele, mas mais uma vez Anastasia cede aos desejos de Christian. A família Grey, a mando de Christian, está protegida por vários seguranças. Até porque a ameaça de Jack, ainda não foi esquecida.

E Ana não está nada familiarizada com o mundo dos ricos e famosos, ela fica várias vezes surpreendida com o preço de determinados objectos, roupas, carros e não se sente confortável em exibir o seu novo estatuto.

Interessante e novamente é aqui que a autora nos consegue surpreender, é a reacção dele ao facto de ela ficar grávida. Então tanto controlo e não se lembraram de optar por um contraceptivo mais fiável? E ele tão senhor de si apanha uma bebedeira? Anastasia cresce e ele aparece-nos como assustado, transtornado e à beira da insanidade? Ou seja longe da reacção normal de um marido apaixonado, ele no momento em que ela precisa dele abandona-a? Fiquei decepcionada, mas também percebi, ele tem medo do desconhecido. E aqui está uma circunstância nova, ele não sabe como lidar com esta nova situação, porque com um bebé ele não pode comunicar por palavras, e se ele não se acha merecedor de amor, tem dificuldade em dá-lo e transmiti-lo!

Como se não chegassem de emoções e drama, o pai de Anastasia é internado. Jack é libertado e as coisas começam a encaminhar-se para umas quantas cenas de acção fora de lençóis. Lutas internas e externas. Grey finalmente liberta-se de todas as sombras do passado que o perseguiam e torna-se num homem atencioso, que consegue acreditar em si e na sua relação com Anastasia.

Acho que o livro se arrastou por muitas páginas e depois no final fomos bombardeados com muitas situações simultâneas: doença do pai de Ana, a sua gravidez, o ataque a Ana, Grey enfrentar o seu maior medo (de ser amado pelo seu dinheiro e não pelo homem que era). E depois ainda o bónus final da história do primeiro encontro deles na perspectiva dele e o seu primeiro Natal com os Grey.

Uma trilogia que me surpreendeu, a primeira que li dentro do género, que li em poucos dias e que apreciei bastante.

*********************************************

16/10/2014

Pão de Trigo e Centeio

World Bread Day 2014 | 16 Outubro | Dia Mundial do Pão - 9ª edição!


O trabalho fornece o pão de cada dia, mas é a alegria que lhe dá o sabor. Silvio Romero

Desde 2006 que centenas de bloggers, de todo o mundo, fazem pão neste dia especial. A ideia do Dia Mundial do Pão é homenagear o nosso pão diário fazendo pão neste dia e publicando no blog. Assim, poderemos mostrar que fazer pão é fácil e também bastante divertido. Eu fiquei a saber da iniciativa através do blog Telita na Cozinha, e decidi participar pela primeira vez!

Eu gosto muito de pão! Quem me conhece sabe-o bem, e hoje neste dia pela primeira vez na minha vidinha, eu fiz o meu próprio pão!

Já ajudei muitas vezes, nas férias de Verão. Ia com a minha avó moer a farinha de milho para se fazer a broa. E muitas vezes, com a minha Tioca, comi pão a escaldar os dedos com manteiga a escorrer pelos queixos! Esses belos tempos já passaram... agora passei de aprendiz a praticante, porque para padeira ainda me falta muito!

O pão esse está no forno a "ouvir" esta minha conversa... o cheirinho é tão bom! A receita essa é do mais simples que há.

Ingredientes:

300 gr. de farinha de centeio
200 gr. de farinha de trigo
340 ml de água morna
1 colher de sal
10 gramas fermento fresco


Preparação:

Misturar o fermento, a farinha e o sal, a pouco juntar a água. Pode ser com a batedeira com as varetas mais grossas. Deixar repousar por meia hora numa tigela coberta com um pano.

Finda essa meia hora, agarrar na massa amassar um pouco novamente e esticá-la num tabuleiro com ajuda de uma espátula/colher molhada para não agarrar. Deixar repousar mais 45 minutos.


Levar ao forno pré-aquecido a cerca de 200º graus durante cerca de 40 minutos. E aqui vos deixo as fotos do meu pão e acompanhamento. Este ficou um pouco tostadinho demais por baixo, para a próxima tenho de o colocar mais acima no forno.


Um truque levar um recipiente com água ao forno ao mesmo tempo, assim fica crocante!

A receita parece morosa mas não é, pode ser feita ao mesmo tempo que outras tarefas e requer muito pouco esforço!

A decoração é já outonal e soube tão bem  antes do jantar.. ao jantar... e depois do jantar...


Assim partilhei convosco a receita e as fotos! Espero que gostem e que façam muito pão!


E aqui deixei a minha alegria de hoje...

14/10/2014

Leituras de Agosto: As cinquentas sombras mais negras, E. L. James

E aqui vos deixo a opinião do segundo livro da trilogia já muito badalada por aí! Ontem foi dia de culinária e hoje é de livros. Tem de ser à vez e pouco a pouco lá vou conseguindo por isto em dia! Só faltam cerca de 15 opiniões de livros e umas 10 receitas com fotos bonitas para editar! Quem corre por gosto não cansa, mas adormece pelo caminho e hoje aconteceu... uma sesta inesperada.


Título: As Cinquenta Sombras Mais Negras
Autor: E. L. James
Editora: Lua de Papel

Número de Páginas: 552

Publicado em: 2012

Sinopse:
Perseguida pelos negros segredos que atormentam Christian Grey, Anastasia Steele separa-se dele, e começa uma carreira numa prestigiada editora de Seattle.
Mas por mais que tente, Anastasia não o consegue esquecer - ele continua a dominar-lhe todos os pensamentos. E quando Christian lhe propõe reatarem a relação com um novo e diferente acordo, ela não consegue resistir. Aos poucos, uma a uma, começam a revelar-se as Cinquenta Sombras que torturam o seu autoritário e dominador amante.
Enquanto Grey se debate com os seus demónios, e revela a Anastasia um lado inesperadamente romântico, ela vê-se obrigada a tomar a mais importante decisão da sua vida.
Uma escolha que só ela pode fazer…
http://www.wook.pt/ficha/as-cinquenta-sombras-mais-negras/a/id/14086026

Opinião:

Assim que acabei o primeiro volume passei logo ao segundo. Tinha curiosidade em como Grey ia lidar com o abandono de Anastasia. Como seria o reencontro de ambos. E confesso que queria saber mais sobre a história dele.

O início do livro mostra-nos uma Anastasia apagada, triste. Melancólica e cuja mente não deixa de se ocupar com Christian, a quem abandonou após confessar o seu amor, isto porque não conseguia ser a submissa que pensava que ele queria. Mas já nem ele sabia o que queria…assim neste livro há uma reviravolta, Christian vai tentar ter o que ele apelida de relação “baunilha”, vai tentar ser para Ana um namorado normal. Claro que de normal ele não tem nada, já comprou a editora onde ela trabalha… temos, mais uma vez, descrições exaustivas e pormenorizadas das cenas de amor tórridas de Grey e Ana.

Ainda que seja narrado na primeira pessoa por Ana, este livro vai finalmente trazer-nos alguma luz à história de Grey, de Mr. Robinson e da mãe biológica que o “abandonou”. Grey vai tentar fugir do padrão que o caracteriza de relações vazia, de BDSM e passa a uma relação dita normal, com Anastasia, as descrições são mais românticas, parecem descrições de início de um qualquer romance. Neste livro tudo parece mais normal, a linguagem, as descrições e parece que nos livramos da tal deusa interior e Anastasia parece mais madura e pronta a assumir o seu papel na sua vida pessoal e profissional. E é neste ambiente profissional que conhecemos a nova ameaça a este romance, o chefe, o protótipo de chefe que assedia as estagiárias… não sabe ele no que se vai meter ou com quem. Aqui é introduzida uma variação, o suspense, aquela sensação de mistério de que algo bom não vai acontecer.

Ainda que Anastasia o tenha abandonado Christian não vai desistir dela, e ainda ela pensava em trabalhar naquela editora e já ele a tinha adquirido. Ela está tomada pela dor, mas mesmo assim, torna-se assistente editorial de um chefe algo tresloucado e pervertido. Os sinais estavam lá, só a ingénua Anastasia é que não percebeu logo de início e teremos algumas surpresas ao longo do livro. Sendo que Christian reconhece imediatamente a perversidade daquele chefe de Ana.

Neste livro há muitas emoções e reviravoltas surpreendentes. A primeira: o passado, que volta para assombrar e trazer algum ciúme à relação, quando Ana se vê confrontada com Mrs. Robinson, a pessoa que iniciou Christian em BSDM. Outra das reviravoltas: o aparecimento surpreendente de Leila, das suas acções e da reacção que despoleta tanto em Ana como em Christian. O que nos permite tantas outras revelações sobre as outras facetas de Grey: atormentado, frágil, lutando contra os seus verdadeiros e desconhecidos sentimentos, sim porque amor implica perda de controlo sobre si e sobre o outro, neste caso Anastasia. Uma a uma as sombras de Grey são desvendadas, à medida que a relação entre os dois se consolida. Já ela parece um pouco mais segura de si, também já ultrapassou um dos maiores obstáculos da vida de cada um de nós, saber o que fazer com o seu futuro.

E parte dessas sombras são reveladas à sua família, sendo dado a conhecer o papel de Elena na formação/desenvolvimento do carácter de Christian. A mãe dele fica chocada e acaba mesmo por dar uma bofetada a Mrs. Robinson em plena festa na sua casa. E são estas cenas que começam a dar mais profundidade a esta história, a fugir à temática do sexo, do quarto vermelho da dor…

Quando terminei este volume apercebi-me que não tinha levado o 3º livro para as férias e que tinha sido um grande erro! O interessante desta trilogia é que os livros acabam com perguntas às quais queremos respostas rápidas.., e eu queria mesmo saber o que mais a autora podia trazer para acrescentar algo de novo à história de Grey e Anastasia!

12/10/2014

Frango no forno com Limão à minha moda

Adorei este frango! E é tão fácil mas tão fácil de fazer, é daquelas receitas que parecem complicadas mas não. E o melhor? É só meter no forno e ir fazendo outras coisas enquanto se espera.


Ingredientes

1 frango
1 limão
1 caldo knorr de galinha
Sal
Pimenta
Azeite
Vinho branco
Salsa
Alho
Cebola
Pimentão 


Preparação: 

O molho...

Para o molho juntar, na picadora: o sal, a pimenta, o azeite, o vinho branco, o caldo knorr, 2 dentes de alhos o pimentão. Triturar tudo até obter uma pasta. Barrar o frango com esta mistura por dentro e por fora.

Adicionar batatinhas e juntar o restante molho e um pouco de água. De seguida colocar um pouco de cebola cortada em tiras finas e salsa. Colocar o limão, mas antes picá-lo com um garfo, e atar as pernas do frango.

Terminar com um pouco de azeite por cima do frango para que depois a pele fique bem tostada!


Aqui deixo o vídeo da preparação para ajudar um pouco!

video

Bom apetite! 




08/10/2014

Leituras de Agosto: As Cinquentas Sombras de Grey de E. L. James


Título: As Cinquenta Sombras de Grey
Autor: E. L. James
Editora: Lua de Papel

Número de Páginas: 552

Publicado em: 2012

Sinopse:

As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre.
Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta - os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor? As Cinquenta Sombras de Grey é o primeiro volume da trilogia de E. L. James que é já o maior fenómeno literário do ano em todos os países onde foi publicado.
Críticas de imprensa
«De um dia para o outro, As Cinquenta Sombras de Grey tornou-se sensação entre o círculo das mães jovens e atraentes e chegou ao top dos bestsellers do New York Times. Este romance erótico pôs as gravatas cinzentas no primeiro lugar da lista de compras de muitas esposas, na esperança de que os respectivos maridos viessem a imitar a personalidade obsessiva, imperiosa e intimidante de Grey, com muitas a admitirem que o livro lhes despertou um desejo intenso por sexo com os companheiros.»
The Daily Mail

«As Cinquenta Sombras de Grey, romance erótico de uma autora desconhecida, foi descrito como pornografia para mamãs ou como uma espécie de Twilight para adultos e, por todo o lado, tem deixado as mulheres eléctricas, de tal forma que, em três tempos, o fenómeno se espalhou no Facebook, nos ginásios ou nos eventos escolares dos filhos. Os editores referem que o burburinho que acompanha As Cinquenta Sombras de Grey faz lembrar o que se passou com o Código Da Vinci ou com Comer, Orar e Amar. A diferença é que este livro é responsável por uma outra coisa: apresentou às mulheres habituadas a ler ficção comercial e sem novidade um novo estilo de romance erótico, explícito e de uma ardência ofegante. Nos subúrbios de Nova Iorque, Denver e Minneapolis, as mulheres que devoraram a trilogia afirmam sentir os efeitos benéficos em casa. Segundo Lyss Stern, a fundadora do site DivaMoms.com e uma das primeiras fãs da série, o livro está a reavivar a chama de muitos casamentos. ‘Acho que ler o livro nos faz sentir sexy outra vez’.»
The New York Times

«Novos e velhos, médicos e crentes praticantes, homossexuais e heterossexuais – estamos só a falar dos HOMENS que devoraram este oh! tão atrevido As Cinquenta Sombras de Grey, uma trilogia erótica que conquistou milhões de mulheres numa questão de semanas.»
Washington Post

http://www.wook.pt/ficha/as-cinquenta-sombras-de-grey/a/id/13173961


Opinião:

Confesso que resisti durante um tempo a comprar os livros e mesmo depois de os comprar ainda ficaram na estante uns meses porque achei que era leitura para o Verão. A edição é da Lua de Papel, e os livros desta editora cada vez me surpreendem mais. Tenho de dizer que não sou muito experiente neste tipo de literatura, estreei-me com esta trilogia, e depois pelo que li aparentemente a temática também não é muito comum.

A trilogia é polémica, causou e causa ainda muito alarido e com o anúncio do filme acho que vai por muito boa gente à beira da histeria. Eu por mim confesso que gosto muito de ler os livros antes de dar uma cara escolhida por uma qualquer produtora cinematográfica.

Como a maioria das pessoas também senti curiosidade mais por saber do que se tratava ao início, se seria pela escrita, pelo conteúdo, eu pensava mas é assim tão chocante e tão diferente? Afinal eu já tinha lido livros que tinham descrições muito detalhadas sobre momentos íntimos e não estava a perceber o porquê de tanta conversa. Depois de começar a ler percebi, e este livro tem mesmo de ser lido porque não conseguimos explicar. Algumas práticas abordadas podem até ser comuns, no entanto, não são na nossa sociedade abordadas claramente. E existem ainda algumas temáticas de que falamos, mas atrás de portas fechadas, e creio que mesmo hoje em dia a nossa sociedade não é ainda assim tão aberta nem as aceita.

À partida parece um qualquer romance Harlequim, a menina ingénua, o empresário de sucesso, a aura de mistério que o rodeia e os novos sentimentos, que desperta na jovem. No entanto percebemos imediatamente a diferença, aqui é Christian Grey quem se sente imediatamente atraído, Anastasia, inexperiente, demora a perceber a sua atracção por ele.

Quase de imediato sentimos a tensão que começa a crescer entre ambos, a atracção, o jogo que se inicia. Ana sente-se como uma borboleta atraída pela luz, mas será que vai sobreviver ou “vai chamuscar as asas”?

Christian Grey é um maníaco do controlo, desde o início que claramente indica a Anastasia o que pretende dela, enquanto que ela se debate com aquele novo mundo que se abre a seus olhos. A relação de ambos é notavelmente sexual, em que Grey tenta controlar Anastasia, a jovem inexperiente de 21 anos, muito inocente para a sociedade de hoje em dia acho eu.

O foco deste romance, é a diferença no tipo de relacionamento, não se trata de um relacionamento normal que vai evoluindo, mas algo como um contrato, disfuncional, Christian Grey, ou Mister Grey necessita de submeter as mulheres às suas necessidades, sendo que cada “relacionamento” envolve um contrato. Começa aqui a diferença, ninguém começa um relacionamento com um contrato, com regras, com castigos, sendo que a maioria deste envolve palmadas…

À medida que o livro avança, somos confrontados, com uma linguagem que roça a vulgaridade, nos diálogos entre as personagens. Quem não tem uma boa cara de poker não deve ler o livro em público, correndo o risco de o rosto atingir certos tons de vermelhos nunca antes vistos. A autora soube pegar num tema conhecido, mas nunca antes descrito, prazer sexual através de dor, é referido no livro com BDSM, sendo bondage, disciplina/dominação, submissão e sadismo/masoquismo. Confesso que não estava preparada para certas descrições extremamente explícitas que encontrei e que me questionei mesmo como era possível…

Ao contrário de outros livros/relações normais, este começa pelo fim com um casal que atinge logo ao início uma grande intimidade na alcova mas que não tem nenhum ou quase nenhum conhecimento dos sentimentos/traumas um do outro. E é aqui que o livro se torna diferente de muitos outros, a aura de mistério em torno de Grey, a nossa curiosidade aguçada, uma pista aqui, outra ali e a nossa imaginação começa a trabalhar… a pensar na história de Christian, porque seria ele assim, o que o levou a tal necessidade, porque é que como ele se descreve tem as suas cinquenta sombras, passando de maníaco a atencioso, de dominador a preocupado.

O meu problema no livro foi com Ana, tudo bem que há raparigas que decidem ser virgens, não importa qual seja o motivo. Mas ela nunca tinha estado mais intimamente com um rapaz, nunca tinha sentido vontade de nada? O meu problema foi como de um momento para o outro ela encontrou a sua deusa interior... ora uma pessoa inexperiente raramente passa de inexperiente a sentir a tal deusa da forma como ela mencionava... tudo bem que Grey era tão confiante e tão “perfeito” que pode ter contagiado Ana a sentir-se mais confiante em relação à sua própria imagem, mas não seria assim tão rápido, penso eu.  

É um livro de dualidade, de opostos, Ana com uma infância feliz, com um percurso normal mas com uma insegurança extrema em relação a si mesma, e de certa forma a um descontrolo/incógnita na sua vida futura. No lado oposto, Christian, com uma infância muito má, obsessivo com o controlo e segurança e com certeza absoluta daquilo que quer: no momento, em que ela entrou no seu escritório, Anastasia Steele. É a história de como Christian conduziu Anastasia, envolvendo-a, atraindo-a até que ela se viu presa na teia da aranha Grey. É a dualidade prazer/dor, aceitação/recusa das práticas proposta por Mr. Grey, é a irreverência do quarto da dor e dos seus instrumentos, é a descrição íntima e expositiva de Anastasia, é a tentativa de descobrir as diferentes sombras de Grey.

Gostei da escrita, da maneira como a autora apresenta esta história, de facto toda a gente diz: “ai não que horror”, mas depois todos sabem um pouco ou já leram um bocado. Aconselho a que leiam a história toda assim não falam só de ser chocante pelo tema, e ficam a conhecer a história toda e podem tecer opiniões fundamentadas.


04/10/2014

Leituras de Agosto: O Segredo do meu marido, Liane Moriarty




E aqui fica mais um livro das minhas leituras de Agosto, estou quase a chegar ao meio dos posts das leituras de Agosto, hoje e como estou cheia de vontade... vou ver se me dedico mais à escrita. Esta leitura foi muito boa, cada vez mais estou a gostar dos livros desta autora.

Título: O Segredo do meu Marido
Autor: Liane Moriarty
Editora: Edições Asa
Número de Páginas: 416
Publicado em: 2014


Sinopse:
A carta do marido dizia: "Para ler apenas após a minha morte." Mas ele estava vivo. E escondia um segredo aterrador.

Cecília encontrou a carta acidentalmente. Na penumbra do sótão, soube de imediato que não devia lê-la. Que devia devolvê-la ao seu esconderijo, fingir nunca a ter encontrado e respeitar a vontade do marido. Afinal amava John-Paul. Juntos, tinham três filhos e uma vida sem sobressaltos. Argumentos que de pouco serviram perante a sua curiosidade crescente. E quando começou a ler, o tempo parou. A confissão de John-Paul fulminou-a como um raio, dividindo a sua vida em dois: o antes e o depois da carta. Cecilia vai ficar agora perante uma escolha impossível.

Se o segredo do seu marido for revelado, tudo o que construíram será destruído. Mas o silêncio terá um efeito igualmente devastador. Porque há segredos com os quais não se pode viver…
http://www.wook.pt/ficha/o-segredo-do-meu-marido/a/id/15677376

Opinião:

Quando li o resumo do livro fiquei com muita vontade de o ler, mas disse que ia esperar um tempo até o comprar (ver se apareciam saldos ou no OLX), lá acabei por o encontrar e comecei a lê-lo nas pausas. O problema foi que as pausas eram muito curtas e a vontade de ler o livro muita!

Este é um livro sobre amor, culpa, ética e o choque da realidade. As nossa emoções vão estar ao rubro e o livro por vezes parece-nos uma volta numa montanha russa! O livro expõe as personagens de tal forma que nos sentimos mesmo divididos, por um lado compartilhamos a dor de uma e por outro percebemos o medo da outra. 

É muito fácil entrar na narrativa, e logo de início Cecília depara-se com “a caixa de Pandora”, uma carta do seu marido que deve ser aberta caso ele morra. E aqui começa a intriga, uma história que nos vai fazer questionar a nossa moralidade, o quanto conhecemos o outro, até onde vamos por amor e será o amor mais forte ou sentimento de dever e justiça? Será Cecília forte ou movida pelo egoísmo de manter o marido e não tomar a decisão certa? 

O livro fala-nos alternadamente de três mulheres: Cecília, Tess e Rachel. Uma mulher feliz, uma mulher a enfrentar uma crise no casamento e uma mulher incompleta, despedaçada pela dor da perda de uma filha e pela partida de outro. Todas diferentes mas todas a braços com uma crise iminente. 

Cecília, uma mulher casada, trabalhadora e que é extremamente organizada. Tem uma vida excelente, casada, ama o marido e as suas três filhas. Feliz até ao dia que encontra uma carta que mudará a sua vida para sempre. Rachel é a vizinha de Cecília, uma viúva, que vê o se único filho partir para NY e levar consigo o seu netinho adorado. Rachel que está com dificuldades em ultrapassar a morte de sua filha assassinada muitos anos antes. E Tess, que volta à cidade onde cresceu para se recuperar da traição do seu marico com a sua prima; encontra um ex-namorado e tenta, desta forma, reconstruir a pouco e pouco o seu mundo abalado pela traição das pessoas que mais amava.

Como se vão interligar estas três vidas? Na escola da pequena cidade todos se encontram. Cecília pensa na sua vida antes da carta e depois da carta. Deverá ela contar o segredo do seu marido a Rachel? Rachel que ainda não encontrou o assassino desconfia do ex-namorado de Tess. Será que é ele é mesmo o culpado? Rachel acredita que sim e volta a contactar com a polícia. E Cecília sabe que é o culpado, mas presa por laços de amor, amizade trava uma luta interna entre o que é certo e o que é melhor para a sua família. 

Um livro cheio de lições de vida, Cecília sabe que não pode mudar o passado, mas começa a encarar o futuro de maneira diferente. O seu marido certamente todos os dias coloca a questão, e se tivesse sido diferente? E Cecília depois de saber certamente se pergunta, e se o marido não tivesse cometido tal atrocidade? E se Rachel não fosse a mãe da rapariga que morreu? A vida perfeita, passa a ser uma vida de angústia, de medo, de não conhecer a pessoa que tinha a seu lado. Até onde irá ela para ajudar o marido?

A história de Tess é um complemento ao livro, poderia bem ser uma outra história à parte, de amor, traição e fingimento. O seu marido e a sua melhor amiga, a prima com quem cresceu apaixonam-se, ou pensam ter-se apaixonado e Tess regressa a um amor antigo que a faz voltar a acreditar em si própria como mulher.

Rachel exemplifica perfeitamente a nossa sociedade de hoje em dia, como as pessoas mais velhas são postas de lado por familiares, como se isolam e acabam por viver um pouco solitárias e na sua própria concha.

Achei um livro surpreendente do qual gostei muito, a história é muito envolvente e depressa somos apanhados no seio das questões morais e mesmo a ter de decidir como Cecília, o que faríamos… mostra-nos como a verdade por vezes não é libertadora mas, pelo contrário, no prende e leva a decisões ainda mais difíceis. Raramente um livro me toca desta maneira, e me deixa a pensar nele por uns tempos, como este deixou.

                                            *********************************************

02/10/2014

Leituras de Agosto: Espero por ti em Paris, David Marle

Título: Espero por ti em Paris
Autor: David Marle, Diana Mendonça
Editora: Oficina do Livro

Número de Páginas: 158

Publicado em: 2006

Sinopse
Após uma longa ausência, ainda amamos da mesma maneira?
Em busca das aventuras da juventude, Philippe e Carolina decidem ir para Paris. Têm vinte anos, sabem que se amam profundamente e isso basta-lhes para serem felizes. Embalados pelo romantismo da cidade, vivem dias intensos e apaixonados, até o destino os separar, obrigando-os a marcar encontro para cinco anos depois. 
Agora, sentada no último andar da torre Eiffel, Carolina recorda os sonhos do passado e espera por Philippe. Sente a inquietação da luta do amor contra o tempo, mas aguarda com serenidade o desfecho da mais bonita história que já viveu. Philippe está quase a chegar e, com ele, a esperança de que os contos de fadas não se fiquem exclusivamente pelas folhas de papel.

Excerto
"A cada passo o reconhecia melhor. A cada passo aguardava que ele se voltasse para que ela o pudesse finalmente ver na perfeição. A cada passo sentia um aperto no estômago e no coração, mas sentia também que o mundo se encurtava e que ao aproximar-se do seu destino a vida recuperava todo o sentido."

http://www.wook.pt/ficha/espero-por-ti-em-paris/a/id/186244

Opinião:

Fiquei curiosa com a capa e o resumo do livro, e este foi mais uma compra OLX. Fiquei cativada com aquela história de amor, com Paris, com a atmosfera e o ideal romântico que envolve aquela cidade. O livro foi lido numa tarde, uma leitura ideal para o Verão, muito descontraída e leve.

A história fala-nos dois jovens, de sonhos desfeitos, de destinos separados. Um romance que acontece quando têm cerca de 20 anos, quando estão a tentar descobrir o rumo das suas vidas como casal e o rumo individual de cada um em termos profissionais. Philippe vê o seu sonho de ser piloto desfeito, devido a uma mal formação genética não pode prosseguir com essa carreira. E Carolina deixa os seus estudos em psicologia para ser escritora.

Separados Philippe revela-se uma surpresa, para mim, má, ele não luta, aceita calmamente as decisões de Carolina e desiste de tudo o que lhe aparece. Durante cinco anos não vive, sobrevive. Ao invés Carolina investe na sua carreira, determinada em não fraquejar. Marcaram encontro na torre Eiffel e cinco anos depois vão descobrir-se mas será que ainda se vão amar?

Carolina será a primeira a chegar, e temos um decorrer de memórias, pela observação de correspondência trocada entre ambos ao longo dos anos. Acaba por ser uma relação à distância, com uma longa pausa de comunicação. Uma prova a este amor… será que ainda sentem o mesmo um pelo outro? O reencontro é atribulado e Philippe quase perde Carolina por, mais uma vez, não se ter decidido a correr atrás dela, por fala de coragem ele ficou em baixo da Torre Eiffel e ela em cima, esperando-o (ou desesperando melhor dizendo!).

Diga-mos que foi um livro que me tocou, no entanto, não acho que seja um daqueles que me marcou, não é uma história como vemos em P.S. Amo-te, o herói não morre, apenas é confrontado com vários obstáculos que não consegue ultrapassar. E Carolina é uma lutadora, mas com 20 anos um pouco egoísta, pensando nas sua necessidades e não nas necessidades de ambos, não tendo uma atitude mais resistente face à depressão de Philippe.

Foi uma leitura agradável e que me deu a conhecer dois novos autores portugueses que não conhecia.


*********************************************

01/10/2014

Menu Mensal Outubro de 2014




E no dia 1 é também dia de menu, a proposta mensal é esta, mas não sigo rigorosamente o menu. Isto é para me orientar e não é "uma dieta" rigorosa a seguir.

Menu Semanal 1 (1 a 5 Outubro)


4ª Feira 
Bacalhau no Forno com Camarão
Sopa de legumes

5ª Feira
Bifes de peru com cogumelos e natas
Empadão de Carne

6ª Feira
Borrego Assado no Forno com Batata a Murro
Filetes em Tomatada

Sábado 
Cannelones de Carne
Fricassé de Pescada

Domingo 
Espetada de Peixe com Arroz de Tomate e Salada
Sopa de legumes

Menu Semanal 2 (6 a 12 Outubro)


2ª Feira
Bifes frango panados com arroz e salada
 Bacalhau à Gomes de Sá


3ª Feira 
Frango na Púcara
Lasanha de Bacalhau

4ª Feira 
Pescada Assada
Almôndegas com Molho de Tomate e Esparguete

5ª Feira 
Costeletas de Porco com Laranja
Sopa de Legumes

6ª Feira 
Bifinhos com Cogumelos
Salmão Grelhado com Legumes Cozidos a Vapor

Sábado 
Peru com Bacon e Batatas
Solha Frita com Arroz de Ervilhas e Salada

Domingo 
Arroz à Valenciana
Frango de churrasco

Menu Semanal 3 (13 a 19 Outubro)

 

2ª Feira
 Bifes de peru panados com batata frita e salada
Dourada Grelhada com Batata Cozida e Salada

3ª Feira 
Arroz de Frango
Bife de Novilho com Batata Frita e Feijão Preto

4ª Feira 
Bacalhau à Brás
Frango no forno

5ª Feira
Esparguete à Carbonara
Salmão Grelhado com batatinhas

6ª Feira 
Bife de Atum grelhado com batata cozida e legumes
Omeleta com Sobras de Peru e sopa

Sábado 
Peito de Borrego Guisado com Esparguete
Pescadinhas de Rabo na Boca com Arroz de Ervilhas

Domingo 
Chocos grelhados com batatas e salada
Costeletas à Salsicheiro


Menu Semanal 4 (20 a 26 Outubro)


2ª Feira
 Bifinhos com Natas e Cogumelos
Espetadas Mistas Grelhadas com Salada

3ª Feira 
Massa Fettuccine com Gambas
Peito de Peru com Molho de Cenoura e Arroz Branco

4ª Feira 
Argolas de Pota com Caril e Arroz Branco
Bacalhau Assado na Brasa

5ª Feira 
Almôndegas de Porco com Cogumelos e Esparguete
Alheira de Mirandela e sopa

6ª Feira
 Empadão de Atum
Sopa de Legumes e rissóis de carne

Sábado 
Carapaus Grelhados com Molho à Espanhola
Sopa e Hamburguer grelhado

Domingo 
Frango Assado no Forno
Bife de Atum com molho de alho e batatinhas

Menu Semanal 5 (27 a 31 Outubro)


2ª Feira
Frango à Valenciana
Salmão com Pure de cenoura

3ª Feira
Lombo de Porco Assado
Maruca com batatinhas

4ª Feira
 Bacalhau Gratinado com Cogumelos
Lasanha de carne

5ª Feira
 Caril de Peru
Pescada na Caçarola

6ª Feira
Coelho de Cebolada
Entrecosto assado no forno com batatinhas novas e esparregado